A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias reúne membros dos mais diversos países, inseridos em culturas variadas. Não bostante, a Igreja se posiciona, amparada nas escrituras e nas revelações modernas.

É sempre adequado consultar a posição oficial da Igreja, antes de ler interpretações, ainda que bem intencionadas, de outras pessoas – inclusive membros fieis e lideres. Assim reunimos aqui alguns trechos da posição oficial da Igreja sobre muitos assuntos polêmicos. Estes textos são encontrados nos sites oficias da Igreja, como o Sala de Imprensa, e no Manual da Instrução 2.

Confira a posição da Igreja abaixo:

Aborto

Posição oficial:

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias acredita na santidade da vida humana. Portanto, a Igreja se opõe ao aborto induzido por conveniência pessoal ou social e aconselha que seus membros não podem submeter-se a um aborto nem realizar, incentivar, pagar ou providenciar esse procedimento, nem consentir que ele seja realizado.

As únicas exceções possíveis ocorrem quando:

  • A gravidez seja consequência de estupro, incesto ou
  • Um médico competente conclua que a vida ou a saúde da mãe esteja em grave risco ou
  • Um médico competente conclua que o feto é portador de defeitos graves que não permitirão que a criança sobreviva após o nascimento.

A Igreja ensina a seus membros que mesmo essas raras exceções não são uma justificativa automática para o aborto. O aborto induzido é uma questão muito séria e deve ser levada em consideração somente depois de as pessoas responsáveis terem consultado o bispo e recebido confirmação divina por meio da oração.

A Igreja não apoia nem se opõe a propostas legislativas ou a demonstrações públicas relacionadas ao aborto.”

 

Atração por pessoas do mesmo sexo

Posição oficial:

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias reconhece que a atração por pessoas do mesmo sexo é um assunto delicado que requer bondade, compaixão e compreensão. O site mormonsandgays.com busca tratar, por meio de entrevistas e vídeos de líderes e membros da Igreja, o assunto sobre atração por pessoas do mesmo sexo e como isso se relaciona às pessoas e aos membros da família envolvidos. (…)

A posição doutrinária da Igreja é clara: a atividade sexual deve ocorrer apenas entre um homem e uma mulher casados. Contudo, isso jamais deve ser usado como justificativa para atos rudes. Jesus Cristo, a quem seguimos, foi claro em Sua condenação à imoralidade sexual, mas nunca cruel. Seu interesse sempre foi o de elevar a pessoa, e nunca o de humilhá-la.

Em resumo, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias afirma a centralização das doutrinas relativas à sexualidade e ao gênero humano, bem como a santidade e o significado do casamento como a união de um homem e uma mulher. Entretanto, a Igreja acredita firmemente que todas as pessoas são filhos igualmente amados de Deus e merecem ser tratadas com amor e respeito. Um apóstolo da Igreja, Élder Quentin L. Cook, declarou: “Como membros da igreja, ninguém deveria ser mais amoroso e compassivo. Sejamos os primeiros a usar termos que expressem amor, compaixão e cordialidade. Que nossas famílias não excluam nem desrespeitem os que escolheram um estilo de vida diferente devido a sentimentos que têm em relação a pessoas do mesmo sexo”.

Para ler o artigo completo clique aqui. Para ler material adicional clique aqui.

 

Eutanásia

“Define-se eutanásia como a ação deliberada de provocar a morte de uma pessoa que esteja sofrendo de uma condição ou doença incurável. Uma pessoa que participe de uma eutanásia, inclusive o assim chamado “suicídio assistido”, viola os mandamentos de Deus” (Manual 2)

 

Hábitos de Saúde

Posição oficial:

“Os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são conhecidos por seu estilo de vida saudável. O plano de saúde da Igreja foi escrito pela primeira vez em 1833 pelo Presidente Joseph Smith, e ele o apresentou aos membros especificamente como uma revelação de Deus. Hoje, os santos dos últimos dias referem-se a essas diretrizes de saúde como “a Palavra de Sabedoria” (Doutrina e Convênios 89).

Dentre os termos do código de saúde estão: não ingerir bebida alcoólica, não fumar ou mascar tabaco e não ingerir “bebidas quentes” — que acreditamos ser especificamente chá preto e café. As “ervas salutares” e as frutas e grãos são especificamente recomendados. A carne é para ser usada “parcamente”. A Igreja também interpreta o mau uso de drogas — ilegais, legais, prescritas ou controladas — como violação do código de saúde.

“O código de saúde (…) recebido há mais de cem anos reflete com exatidão as recomendações que são feitas atualmente pelo mundo científico com relação à melhoria da saúde e a manutenção da qualidade de vida”, afirma Ted Adams, Ph.D., diretor do programa no LDS Hospital Fitness Institute em Salt Lake City.

Um estudo de quatorze anos feito pela UCLA em 1997 monitorou a taxa de mortalidade e as práticas saudáveis de 10.000 membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias na Califórnia. Resultados Específicos: Os membros da Igreja que seguiram o código da saúde tiveram a menor taxa de mortalidade relacionada a câncer e doenças cardiovasculares dos Estados Unidos — quase metade do que a da população em geral. O estudo também indicou que os membros da Igreja que seguiram o código tiveram uma expectativa de vida de oito a onze anos maior do que a população branca dos Estados Unidos.”

 

Mulheres na Igreja

Posição oficial:”As mulheres santos dos últimos dias extraem força e inspiração de sua identidade: elas têm a compreensão de que são filhas de Deus com um propósito na vida e se esforçam para cultivar os atributos da divindade — como santidade, sabedoria e caridade — dentro de si. Elas honram o corpo e a mente como dons sagrados, rejeitando qualquer coisa que as rebaixe. Elas buscam atingir seu potencial e sua capacidade para ter alegria por meio da adoração, do estudo, do serviço e dos esforços sinceros para viver uma vida centralizada em Cristo. Elas acreditam que, por desígnio divino, mulheres e homens adquirem o crescimento essencial, a alegria e a realização juntos — não isoladamente. Por meio de esforços colaborativos e únicos, cada um dá contribuições indispensáveis no lar, na Igreja e na comunidade.

(…) Juntas, as mulheres santos dos últimos dias compõem a Sociedade de Socorro, uma das maiores e mais antigas organizações de serviço de mulheres do mundo. Com 5,5 milhões de mulheres membros em 170 países, a Sociedade de Socorro é um formidável veículo para o serviço em todo o mundo. (…)

Os membros masculinos e femininos da Igreja também têm oportunidades distintas e colaborativas de serviço na Igreja. Seguindo o padrão estabelecido por Cristo no Novo Testamento, os homens da Igreja servem em ofícios do sacerdócio, o que permite que eles oficiem em “ordenanças” ou cerimônias religiosas, bem como na administração da Igreja. As mulheres mórmons servem como missionárias e como professoras, presidem organizações a nível local e institucional, aconselham as pessoas e ministram a elas, e exercem muitas outras funções. As mulheres também são essenciais nos conselhos de liderança das congregações da Igreja, como participantes plenas em debates e tomadas de decisão.

O local de serviço mais importante para ambos, mulheres e homens, é dentro da própria família.”

Para ler o artigo completo clique aqui.

 

Neutralidade Política

governoA missão da Igreja é pregar o evangelho de Jesus Cristo, não é eleger políticos. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias mantém-se neutra com relação a partidos políticos. Isso se aplica a todas as muitas nações nas quais está estabelecida.

A Igreja não:

  • Endossa, promove ou se opõe a partidos políticos, candidatos ou plataformas.
  • Permite que seus edifícios, listas de membros ou outros recursos sejam utilizados para propósitos de partidos políticos.
  • Tenta influenciar seus membros em relação a qual candidato ou partido devem dar seu voto. Essa norma se aplica se o candidato ao cargo político é membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ou não.
  • Tenta dirigir nem dar ordens a líderes governamentais.

A Igreja:

  • Incentiva seus membros a ser cidadãos responsáveis na comunidade, inclusive mantendo-se informados sobre os assuntos relativos a ela, e a votar nas eleições.
  • Espera que seus membros se envolvam no processo político de forma ordeira e clara, respeitando o fato de que membros da Igreja têm origens e experiências diferentes e podem ter opiniões diversas em relação a partidos políticos.
  • Solicita que os candidatos não sugiram que sua candidatura ou plataforma seja endossada pela Igreja.
  • Reserva-se o direito de, como instituição, pronunciar-se de maneira apartidária, sobre questões que acredita terem consequências significativas em âmbito comunitário, moral ou que afetem diretamente os interesses da Igreja.

Para ler mais sobre a posição oficial da Igreja sobre Política acesse aqui.

 

Pena de Morte

A posição oficial, simples e direta da Igreja é: “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias considera a questão de se, e em que circunstâncias, a pena de morte deve ser imposta pelo estado, como um assunto a ser decidido unicamente pelos processos prescritos no direito civil. Não apoiamos e não nos opomos à pena de morte.”

 

Pesquisa em Células-Tronco Embrionárias

“A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias não se posiciona em relação ao uso de células-tronco embrionárias para pesquisas. A falta de posicionamento não deve ser interpretada como apoio ou oposição a nenhuma outra declaração feita por membros da Igreja, quer sejam a favor ou contra a pesquisa em células-tronco embrionárias.”

 

Poligamia

Posição oficial:

“Grupos e pessoas que praticam a poligamia em Utah e seus arredores frequentemente confundem os observadores casuais e os representantes da mídia que nos visitam. Os polígamos e as organizações de polígamos em áreas do oeste dos Estados Unidos e Canadá não têm qualquer ligação com A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, apesar do termo “Mórmon” — ser amplamente conhecido como um apelido para os santos dos últimos dias — algumas vezes causa mal-entendidos quando aplicados a eles.

O Presidente Gordon B. Hinckley declarou o seguinte sobre poligamia na conferência geral da Igreja em outubro de 1998: ”Desejo declarar categoricamente que esta igreja nada tem a ver com as pessoas que praticam a poligamia. Eles não são membros da Igreja. Em sua maior parte, nunca foram. Estão violando a lei civil. Sabem que estão violando a lei. E estão sujeitos às respectivas penalidades. Esse assunto, portanto, está completamente fora da jurisdição da Igreja.

“Se algum de nossos membros for descoberto praticando o casamento plural, será excomungado, a penalidade mais séria que a Igreja pode impor. Não somente estão envolvidos em uma violação direta da lei civil, como também estão violando a lei da Igreja. Uma das Regras de Fé deixa isso bem claro. Ela afirma: ‘Cremos na submissão a reis, presidentes, governantes e magistrados; na obediência, honra e manutenção da lei’ (Regras de Fé 1:12)”.

 

Relações Raciais

Posição da Igreja:

“Já se passaram mais de 30 anos desde que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias começou a ordenar seus membros afrodescendentes ao sacerdócio.

Foi um momento crucial para a história da Igreja, com implicações não somente para os membros nos Estados Unidos, mas para a Igreja no mundo todo.

 

(…)

(…) Nunca houve nenhuma norma de congregações segregadas. Em toda a história da Igreja, onde os mórmons de várias etnias e raças viveram como vizinhos, sempre adoraram juntos. Muito antes de 1978, os negros foram batizados como membros, pregaram no púlpito e ofereceram orações em grandes congregações com brancos — e nenhuma dessas ações exigia que o membro portasse o sacerdócio.

Após o anúncio da mudança, em junho de 1978, a Igreja imediatamente começou a ordenar os negros do sexo masculino que eram ativos na Igreja ao sacerdócio onde quer que frequentassem a Igreja em todo mundo. O primeiro templo na África foi construído na África do Sul em 1981 e dois outros — em Gana e na Nigéria — foram dedicados recentemente.

Uma manchete no Washington Post em 2007 referia-se “à nova face do Mormonismo global” O New York Times, em um artigo de 2005, citou que uma nova capela da Igreja na cidade era “uma das congregações mais racialmente integradas no Harlem, com igual número de fiéis brancos e negros”.

Leia o artigo completo aqui.

 

Relações entre Religiões

Photo credit should read Arif Ali/AFP/Getty Images

Posição Oficial:

“O respeito pelas diversas crenças e pela contribuição singular de todas as religiões do mundo é uma das características principais do mormonismo. Desde o início de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Joseph Smith exaltou o princípio de liberdade religiosa e tolerância: “Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência, e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem”(Regras de Fé 1:11). (…)

Ao ressaltar o amor de Deus por todas as pessoas, não só pelos de determinada religião, o Presidente Dieter F. Uchtdorf da Primeira Presidência, o mais alto corpo governante da Igreja, declarou: “Honramos e respeitamos pessoas sinceras de todas as religiões de qualquer local ou época que tenham amado a Deus, mesmo sem terem acesso à plenitude do evangelho. Erguemos a voz com gratidão pela abnegação e coragem delas. Nós as consideramos irmãos e irmãs, filhos do nosso Pai Celestial. (…) [Ele] ouve as orações dos humildes e sinceros de toda nação, língua e povo. Concede luz aos que O buscam e honram e se dispõem a guardar Seus mandamentos” (Abril de 2008 Discurso da Conferência Geral).

Leia o artigo completo aqui.

 

Outros Normas e Posições Oficiais

Para ler sobre outras normas da Igreja, e sua posição oficial, sobre, por exemplo, crianças natimortas, grupos de ajuda, doação de órgãos, armas de fogo, práticas ocultistas, suicídio, etc. acesse o Manual 2 clicando aqui.

 

(Visited 1.560 times, 6 visits today)