Introdução

Antes de iniciar um artigo sobre Tatuagem deixe-me esclarecer que acredito em padrões morais e de recato. Evidente: não poderia escrever um artigo com título “perspectiva mórmon” sem crer nisso!

Ao mesmo tempo, acredito na liberdade de escolha e que não devemos julgar pessoas de modo a condená-las por sua aparência ou por diferirem em sua forma de pensar e agir. Sei que o assunto de “tatuagem” é extremamente delicado, pois caminha pela intimidade e pela história pessoal de muitos. Mas estou certo que a maioria dos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias evitam rotular as pessoas, e procuram ser amigáveis e prestativos com todos [1]. Neste sentido, pouco nos importa se uma pessoa fuma, bebe, usa drogas ou tem tatuagens. Procuraremos tratar todos como irmãos e irmãs. Mas não significa que concordaremos com estilos de vida que fogem dos padrões revelados pelo Senhor, que são os mais seguros para obtenção de felicidade agora e na eternidade.

O que pretendo aqui é apontar um padrão moral do Evangelho de Jesus Cristo e da Igreja (que não foi revogado!), e explorar esse padrão por meio de citações e considerações.

tatuagem

Uma palavra aos que possuem tatuagens

Se você tem tatuagem saiba que Deus “não repudia quem quer que o procure” (2 Néfi 26:33). Se você se arrepende por ter feito tatuagens, mas, neste momento, não lhe é possível removê-las, talvez essa escritura lhe sirva de consolo e incentivo:

“[O] Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.” (1 Samuel 16:7)

Seu desconforto em ter cometido um erro, e sua sincera determinação em seguir o Senhor, com o tempo, removerão não só os desenhos da pele, mas toda aparência e atitude do “homem natural” (Mosias 3:19) e o renovarão – de modo que você irá adquirir, pouco a pouco, o semblante de Cristo (Alma 5:14).

Se você tem tatuagem (ou esta pensando em fazer uma) e se orgulha disso, creio que deva ler este artigo com bastante atenção!

 

Tatuagens nas Escrituras

Na época do Velho Testamento tatuagem era usada para marcar os escravos ou como sinal de idolatria. O Manual do Instituto do Curso do Velho Testamento explica:

“Ao proibir os ferimentos feitos na carne ou as tatuagens, novamente o Senhor, de maneira clara e inequívoca, indicou que Israel deveria ser diferente das nações gentias que viviam ao seu redor . Era costume afligir-se com ferimentos por ocasião de luta pelos mortos ou durante a adoração (veja I Reis 1 8: 28) . Além disso, “era uma prática tradicional e muito difundida levar marcas no corpo, em louvor do objeto a ser adorado. Os membros de todas as castas hindús trazem gravados na testa, ou em qualquer outra parte do corpo, marcas que eles chamam de sinais sectários, que os distinguem das demais pessoas , não somente no ponto de vista civil , mas também religioso .

“A maior parte das nações bárbaras descobertas recentemente tinham o hábito de marcar o rosto , braços ou tórax com cicatrizes ou tatuagens , provavelmente por motivos supersticiosos. Os registros deixados por autores antigos estão cheios de relatos concernentes a sinais feitos na face, braços, etc., em honra aos mais diferentes ídolos. É a esse fato que o inspirado autor se refere (Apocalipse 13:16-17; 14:9, 11; 15:2; 16:2; 19:20; 20:4), onde são representados falsos adoradores recebendo em suas mãos e testas os sinais da besta.” [2]

No Livro de Mórmon aprendemos uma importante lição com os anlicitas, nefitas apóstatas, que haviam marcado a fronte de vermelho, para diferenciarem-se do povo de Deus (Alma 3:4, 18). Eles marcaram-se propositalmente como sinal de que haviam se rebelado contra as verdades do Evangelho.

 

O perigo de se fazer tatuagem

Na A Liahona de Março de 2006 uma especialista falou sobre as Tatuagens:

“Inna Prokopenko é enfermeira licenciada com mestrado em estética, em Salt Lake City, Utah. Ela já tentou remover muitas tatuagens em seus anos de trabalho. Eis o que Inna tem a dizer sobre as tatuagens:

Um dos grandes riscos físicos de fazer uma tatuagem é a alergia à tinta. Ela pode aparecer de imediato ou de seis meses a um ano depois de ser feita a tatuagem. A alergia à tinta faz com que a parte tatuada do corpo inche, coce e fique vermelha. Se você for alérgico e a tinta entrar em sua corrente sanguínea, você poderá ficar muito doente.

Doenças transmitidas pelo sangue são outro risco. Se as agulhas e outros  equipamentos não forem devidamente esterilizados, é possível contrair-se HIV ou outras doenças.

O remorso por ter feito uma tatuagem é mais do que um risco — é uma certeza para todos os pacientes (…). Muitas pessoas tentam remover as tatuagens para parecerem mais profissionais em seu trabalho ou para darem um bom exemplo para os filhos.

Algumas tatuagens podem ser removidas a laser — ao menos parcialmente — mas a remoção é bem mais dolorosa do que a tatuagem propriamente dita. O tratamento a laser geralmente não deixa cicatrizes, mas existe essa possibilidade.

As tatuagens amarelas ou feitas com tinta amarela não podem ser removidas sem cirurgia. O tratamento de remoção é muito prolongado e caro — bem mais caro do que a realização da tatuagem.”

Além disso quando um jovem deseja servir como missionário deve apresentar-se sem tatuagens. Caso tenha uma tatuagem “as Autoridades Gerais analisam cada caso e decidem se o missionário terá a permissão de servir em uma missão. Alguns não podem servir.” [3]

Há muitos outros riscos à saúde quando uma pessoa se tatua: contrair hepatite C, hepatite B e infecções bacterianas ou fúngicas [4].

 

Profetas aconselharam a não fazer tatuagem

Deus deu um mandamento específico e direto sobre as tatuagens.  No livreto Sempre Fiéis, por exemplo, lemos: “Os profetas atuais opõem-se firmemente à tatuagem. Os que desconsideram esse conselho demonstram falta de respeito por si mesmos e por Deus. O Apóstolo Paulo ensinou o significado de nosso corpo e falou do perigo de aviltá-lo de propósito: “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”. (I Coríntios 3:16–17) Se você tiver uma tatuagem, terá em si um lembrete constante do erro cometido. Pode ser conveniente pensar em removê-la.” (pg. 182)

O livreto Para o Vigor da Juventude adverte: “Os modismos do mundo mudam, mas os padrões do Senhor não mudam. Não se desfigurem com tatuagens ou piercings.” (pg. 7)

O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos declararam que desaconselham as tatuagens” [5]

Ele disse também: “Há pouco tempo, discursei para seus pais. Entre outras coisas, falei sobre as tatuagens. Que criação é mais grandiosa que o corpo humano? É uma coisa maravilhosa, o supra-sumo da obra do Todo-Poderoso. (…) Já pararam para pensar que seu corpo é santo? Vocês são filhos de Deus. Seu corpo é criação Dele. Vocês desfigurariam essa criação gravando na pele desenhos de pessoas, animais e palavras? Prometo-lhes que dia virá em que, se vocês tiverem tatuagens, se lamentarão por isso. E não há como retirá-las, são permanentes. Só por meio de um processo caro e doloroso é que podem ser removidas. Se vocês tiverem tatuagens, então é bem provável que, pelo restante da vida, vocês as levem na pele. Creio que um dia se envergonharão delas. Não se tatuem. Nós, como Autoridades Gerais que os amam, rogamos que não desrespeitem o corpo que o Senhor lhes concedeu.” [6]

O profeta continuou, dessa vez numa reunião de moças da Igreja: “Respeitem seu próprio corpo. O Senhor disse que ele é como se fosse um templo. Muitas pessoas desfiguram o próprio corpo com tatuagens. Que visão curta! Essas marcas são para a vida inteira! Depois de serem feitas, não podem ser removidas a não ser por meio de um processo muito difícil e dispendioso. Não consigo entender por que uma moça se sujeitaria a algo assim. Peço-lhes encarecidamente que não desfigurem seu corpo dessa forma.” [7]

O Presidente Boyd K. Packer disse: “Não enfeitem seu corpo com tatuagens, nem o perfurem com piercings. Afastem-se dessas coisas.” [8]

O Presidente Thomas S. Monson também advertiu: “Não sejam extravagantes nas roupas nem na aparência; não façam tatuagens nem usem piercings.” [9]

Para finalizar, o Élder D. Todd Christofferson disse: “Nós, que temos um testemunho da realidade mais ampla da eternidade pré-mortal, mortal e pós-mortal (…) precisamos reconhecer que temos um dever para com Deus em relação a essa sublime realização de Sua criação física. Se reconhecermos essas verdades e a orientação do Presidente Thomas S. Monson dadas na última conferência geral de abril, certamente não vamos desfigurar o corpo, com tatuagens; nem o debilitar, com drogas; nem o desonrar, com fornicação, adultério ou falta de recato. Por ser o instrumento de nosso espírito, é vital que cuidemos deste corpo da melhor forma possível. Devemos consagrar seus poderes para servir e levar adiante o trabalho de Cristo. Paulo disse: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (Romanos 12:1).” [10]

 

Sem desculpa

Tatuagens normalmente são feitas pelos motivos expressos acima: auto-afirmação, revolta, necessidade de ser reconhecido como parte de um grupo, homenagem, etc. Porém, em alguns lugares as tatuagens fazem parte da tradição cultural. Muito me admirou a experiência desse jovem samoano:

“Quando eu era jovem, meu pai me falou das tatuagens tribais que são comuns (…) Meu pai disse: ‘Não participe de nada disso. Você é filho de Deus antes de ser samoano, antes de ser um homem grande e forte das ilhas”. Isso me ficou indelevelmente gravado na mente.

“(…) Às vezes, é preciso coragem para nos distanciarmos dessas práticas [culturais] e nos apegarmos aos ensinamentos do evangelho de Jesus Cristo” [11]

 

Conclusão

“Cristo ensinou que devemos estar no mundo, mas não ser do mundo. Contudo, existem alguns de nossos membros que não anseiam tanto levar o evangelho ao mundo, quanto estão interessados em trazer as coisas mundanas para o evangelho.

Querem eles que estejamos no mundo e sejamos dele, que gozemos da popularidade do mundo, mesmo sabendo que um profeta disse que isso é impossível, pois então todo o inferno gostaria de se juntar a nós.

Valendo-se de seu próprio entendimento e de algumas escrituras mal interpretadas, tais pessoas tentam fazer com que aceitemos os preceitos e filosofias dos homens. Elas não acham que a igreja seja progressista o suficiente” [12]

“Se o espírito ceder ao corpo, torna-se corrompido; mas se o corpo ceder ao espírito, torna-se puro e santo.” [13]

Os profetas conseguem ver coisas que nós não conseguimos. Diante de tantas advertências ainda assim temos coragem de nos submetermos a tatuagens? Será que o desejo de ter um desenho – seja para pertencer a um grupo, para provar a liberdade, para demonstrar um sentimento – ou qualquer outro motivo – irá evitar a dor da desobediência? [14]

“A maioria das pessoas que possuem tatuagens dizem tê-las feito a fim de expressar-se ou mostrar sua individualidade. Elas as veem como um sinal de independência. Que ironia, então, que no momento em que a agulha perfura a pele para aplicar o pigmento, eles estão presos a ela de modo permanente, independentemente de como possam sentir-se sobre isso mais tarde — a menos que optem por um processo caro e complicado para removê-la. O fato de que as tatuagens são uma mutilação permanente de sua pele (e não apenas uma aparência legal de “arte no corpo”) é um dos motivos pelos quais os profetas as desencorajam.” [15]

 

Artigos do Site Oficial da Igreja sobre Tatuagem (clique abaixo para acessar):

Tatuagens e Sua Missão“, Shanna Butler

Pense antes de se tatuar“, David A. Edwards

 

___________

NOTAS

[1] A seguinte citação foi extraída de um artigo para jovens da Igreja: “Se você conhece pessoas com tatuagens, não as julgue por isso. Isso só as afastaria. Seja gentil e amigo delas. Se o assunto de tatuagens surgir, em vez de condenar a decisão delas de fazer uma tatuagem, converse sobre por que você trata seu corpo da maneira que o faz. Aprender a respeito de quem são e que tipo de dádiva é seu corpo pode ajudá-las a sentir o Espírito e a aproximar-se mais do Salvador.” (“Pense antes de se tatuar”, clique aqui para ler)

[2] Clarke, Bible Commentary, Vol . I, pg. 575 – Manual, pg. 187

[3] A Liahona, Março de 2006, pg. 20

[4] “Em um estudo recente, os investigadores determinaram que o risco de hepatite C está diretamente relacionado com o número de tatuagens que a pessoa tem, de acordo com uma análise de 124 estudos de 30 países.

Pessoas com várias tatuagens ou tatuagens que cobrem grandes partes de seus corpos estão em maior risco de contrair hepatite C, bem como outras doenças veiculadas pelo sangue.

Doenças infecciosas, doenças de pele e alergias são apenas algumas das preocupações que devem ser abordadas a fim de proporcionar a experiência mais segura possível.

Outros grandes riscos da tatuagem incluem contrair HIV, hepatite B e infecções bacterianas ou fúngicas. A maioria dos bancos de sangue pede que as pessoas esperem 12 meses após fazer uma tatuagem antes de doar sangue.

De acordo com institutos de saúde, casos de Staphylococcus aureus estão em ascensão entre pessoas tatuadas. Isto é particularmente preocupante porque as cepas dessas bactérias são altamente resistentes à penicilina e muitos antibióticos.

Os produtos químicos na tinta da tatuagem são outra causa de preocupação. Algumas pessoas podem ter reações alérgicas à tinta, como dermatite (irritação grave na pele). Os pigmentos utilizados em tintas de tatuagem são de nível industrial e, segundo estudos, são adequados para tinta de impressão ou pintura de automóveis.” (“Conheça os riscos de se fazer uma tatuagem”, Hipy Science – Leia o artigo completo aqui ).

[5]  A Liahona, Janeiro de 2001, pg. 67

[6] “Conselho e Oração do Profeta para os Jovens”, A Liahona, abril de 2001, pg. 37; itálicos adicionados

[7] “Permanecer no caminho elevado”, A Liahona, Maio de 2004, pg. 114

[8]  A Liahona, Maio de 2009, pg. 51

[9] A Liahona, Maio de 2010, pg. 65

[10]  A Liahona, novembro de 2010, pg. 17

[11]  Morgan Sa Mataalii, “O Evangelho em Primeiro Lugar”, A Liahona, junho de 2011, p. 9

[12] Ezra Taft Benson, Conference Report, abril de 1969, pg. 11

[13] DBY, p. 267

[14] Se você esta se debatendo entre fazer tatuagem ou não, pondere e ore sobre essas passagens: Alma 37:6-7; I Coríntios 3:17-20 e Doutrina e Convênios 1:38-39.

[15] “Pense antes de se tatuar“, David A. Edwards

(Visited 1.635 times, 2 visits today)