Menina mórmon se declara gay a sua congregação

Recentemente, um vídeo tem sido veiculado na mídia social sobre uma menina de 12 anos falando em uma reunião de testemunho sobre ser gay. Ele está sendo promovido como um momento sincero de ternura que foi arruinado pelo líder da estaca malvado, que que estava sentado ao púlpito nesse dia e que lhe pediu para sentar. A mãe escreve, “… esse membro da estaca escolheu magoar minha filha, e não sei os motivos dele para isso”.[1]
Então, vamos dar contexto à história.

ENTENDENDO AS REUNIÕES DA IGREJA SUD

Todos os domingos, os Mórmons se reúnem. Nossa reunião mais sagrada se chama “Reunião Sacramental”. O Manual de Instruções da Igreja, item 18.2.2, diz:

“Toda reunião sacramental deve ser uma experiência espiritual na qual os membros da Igreja renovam os convênios ao partilhar do sacramento.  Outros propósitos da reunião sacramental são adorar, ensinar o evangelho, realizar ordenanças, tratar de assuntos da ala e fortalecer a fé e o testemunho.[2]

Nas instruções dadas aos líderes da Igreja, lemos:

(…) os bispados e presidências de ramo precisam planejar cuidadosamente a reunião sacramental para manter o enfoque da reunião no Senhor, Sua Expiação, Seu exemplo e as doutrinas do evangelho.[3]

Um domingo de cada mês, os membros têm uma reunião sacramental especial, chamada reunião de “Jejum e Testemunho”. Antes da reunião, os membros normalmente se abstêm de fazer duas refeições. Este jejum serve para colocá-los em um patamar espiritual de adoração mental. Geralmente, os membros doam o dinheiro economizado com as refeições que fariam durante o jejum para alimentar os pobres. Como parte dessa reunião, após o Sacramento (comunhão), “ o membro do bispado que dirige a reunião presta um breve testemunho. Em seguida, convida os membros a prestar testemunhos sinceros sobre o Salvador, Seus ensinamentos e a Restauração”.[4]

Esses testemunhos não são palestras ou discursos. Eles não são escritos previamente. Não é hora para argumentações. Os testemunhos são curtos, expressados de maneira improvisada e são sentimentos sinceros sobre o Evangelho de Jesus Cristo e como os membros têm se fortalecido com ele. No site lds.org diz:

O testemunho é uma certeza espiritual dada pelo Espírito Santo. O alicerce do testemunho é o conhecimento de que o Pai Celestial vive e ama Seus filhos; de que Jesus Cristo vive, de que Ele é o Filho de Deus e de que Ele realizou a Expiação infinita; de que Joseph Smith é o profeta de Deus que foi chamado para restaurar o evangelho; de que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a verdadeira Igreja do Salvador na Terra e de que a Igreja é guiada por um profeta vivo hoje. Com esse alicerce, o testemunho aumenta até englobar todos os princípios do evangelho. [5]

Com isso em mente, vamos analisar este incidente.

O EVENTO

A mãe de Savannah nos contou que ela estava enfrentando dificuldades recentemente. O pai dela e os 4 irmãos frequentam a Igreja regularmente, enquanto a mãe fica em casa com “nossa mais velha”. Com base no contexto, essa parece ser a Savannah. Ela foi quem quis fazer isso. Há messes ela estava pressionando os pais para fazer isso. Sua mãe afirma:

Ela queria ser ela mesma na frente deles, veja se a Igreja seria um lugar que iria aceitá-la e se expressar caso houvesse outra pessoa LGBT na congregação que precisasse ouvir, para que a pessoa soubesse que ela não estava sozinha.

Então, Savannah convidou vários amigos seus para vir ouvi-la, e eles gravaram o evento.[6] Várias pessoas da comunidade de Ex- Mórmons, inclusive o rapaz que se infiltra em templos para gravar as pessoas, agora estão fazendo de tudo para promover este incidente em todos os veículos impressos e na mídia social.[7]

Como os pais desta menina sabem, reunião de jejum e testemunho não é um lugar para fazer discursos, que é o que ela fez. Ela levou seu discurso tudo escrito e o leu do púlpito. Quem me dera que os pais dela tivessem conversado mais com ela sobre os fóruns e locais apropriados. Não se trata de uma menina que está enfrentando dificuldades com sua sexualidade, ou de como um líder de Igreja lidou com isso. Este é um caso claro de uma reunião que foi sequestrada promovendo falsos ensinamentos e explorando a inexperiência de uma criança para criar um evento de mídia. Savannah provavelmente conseguiu dizer muito mais do púlpito do que seria permitido a um adulto dizer.

O testemunho dela começou bem.

Oi, meu nome é Savannah, e quero compartilhar meu testemunho com vocês.
Acredito que sou filha de pais celestiais.
Não sei se eles falam conosco, mas eu sinto no meu coração que eles me fizeram e que eles me amam.
Eu acredito que eu fui feita por meus pais celestiais do jeito que sou, cada parte de mim.
Eles não cometeram um erro quando me deram olhos castanhos ou quando eu nasci careca. Eles não cometeram um erro quando me deram sardas ou quando fizeram com que eu fosse gay.

Até essa parte, tudo bem. Até mesmo o fato de mencionar sua sexualidade poderia ser visto como apropriado no contexto de um testemunho prestado numa reunião de jejum e testemunho. Em seguida, em um testemunho real, você esperaria algo sobre como alguns eventos da vida a ajudaram a crescer espiritualmente. Mas, Savannah não fez isso. Ela começa a argumentar sua posição, dizendo:

“Nenhuma parte de mim é um erro.”

“Eu não escolhi ser assim e não estou vivendo uma moda passageira.”

“Eu sei que não sou uma pecadora horrorosa por ser quem eu sou.”

“Eu sei que pode ter todas estas coisas como lésbica e ser feliz.”

“Eu acredito que se Deus existe, Ele sabe que sou perfeita do jeito que eu sou e nunca me pediria para viver a vida sozinha ou com alguém por quem não sinto atração.”

No meio de seu discurso ela diz, “Acredito que Deus me diria se eu estivesse errada.”

Bem, como membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos acreditamos que foi e exatamente isso o que Ele fez. Não acreditamos que ela é uma “pecadora horrorosa” por ser quem ela é, mas é possível encontrar em nossos ensinamentos sobre família e relações declarações claras no documento intitulado “A Família: Proclamação ao Mundo.”[8] Esta é uma crença fundamental de nossa fé. Em suma, ela está dizendo que não confia nos ensinamentos de Jesus Cristo dados por meio de nossos profetas atuais.

O PLANO DE FUGA

Ao falar sobre o amor de Deus, com o qual todos concordamos, o discurso dela afirmou que as crenças da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são falsas. Ele segue o padrão de um plano de fuga que declara o seguinte: Eu acreditava que a Igreja era verdadeira, mas agora eu encontro alegria e felicidade com os ensinamentos vindos de fora da Igreja. Espero que vocês abandonem suas falsas crenças e me acompanhem. Qualquer pessoa que argumenta dessa maneira do púlpito deve ser convidada a se retirar, mesmo se essa pessoa tenha doze anos de idade.

O PLANO DO PAI CELESTIAL

Savannah está certa quando afirma que todos somos especiais. Todos nós nascemos com vários talentos e dons. Todos nós nascemos com desejos e paixões. Todos nós nascemos com fraquezas e fragilidades.

O plano do Pai Celestial consiste em aprendermos a vencer nossas fraquezas e fragilidades. É controlar nossas paixões e desejos. É desenvolver nossos dons e talentos. Ele nos deu uma série de diretrizes chamadas mandamentos que nos proporciona felicidade extrema tanto na mortalidade quanto na vida eterna. A questão é se acreditamos e confiamos Nele.

Nenhum de nós é perfeito do jeito que somos. Este é o ponto de vista de uma criança. Todos nós temos dificuldades. Muitos de nós temos sim que viver a vida sozinhos. Esse é apenas um dos muitos desafios da vida.

O FUTURO

Eu desejo tudo de bom à Savannah, independentemente de quais forem suas escolhas futuras. Espero que os pais dela interfiram para diminuir as proporções do ocorrido. Toda criança precisa crescer. Penso naqueles jovens que sei que pensaram que eram gays quando tinham seus 12 ou 13 anos e que estão agora em relações heterossexuais felizes. Tenho um carinho especial por um destes. Odiaria ler uma manchete dessa jovem enquanto ela decide para qual rumo suas decisões na vida vão levá-la.

Depois que Savannah falou, líder que estava dirigindo a reunião se levantou e repetiu as declarações edificantes e verdadeiras que ela fez. Sem palavras rudes. Sem condenação. Sem juízo negativo. Não faltou apoio à Savannah como filha de Deus. O que ocorreu foi que um líder da estaca protegeu o propósito da reunião sacramental e colocou-a novamente focalizada no Evangelho de Jesus Cristo. Isso foi simplesmente um caso de argumentação e local inapropriados.

Escrito por Scott Gordon e traduzido por Luciana Fiallo.

Fonte: www.fairmormon.org

[1] https://www.reddit.com/r/exmormon/comments/6a31bl/did_anyone_hear_about_the_12yo_girl_whose_mic_was/
[2] https://www.lds.org/handbook/handbook-2-administering-the-church/meetings-in-the-church/18.2.1?lang=por#182
[3] https://www.lds.org/liahona/2004/08/5?lang=por
[4] https://www.lds.org/liahona/2004/08/5?lang=por
[5] https://www.lds.org/topics/testimony?lang=por&old=true
[6] A gravação de nossa reunião de adoração na capela é contra a política da Igreja. Mas, sendo convidados, eles provavelmente não sabiam disso, ou não se importaram.
[7] Ele afirmou no Reddit, “Me ofereci para editar e distribuir o vídeo, bem como promovê-lo em larga escala. Passei pelo menos 40 horas nos últimos dez dias editando e promovendo o vídeo para todos os contatos de mídia que eu já tinha (e para vários novos)”.
[8] https://www.lds.org/topics/family-proclamation?lang=por&old=true

 

(Visited 24.968 times, 21 visits today)