Quando o projeto “Mochileiros SUD” foi aprovado sabíamos que a cidade de Manaus seria nossa primeira parada. Precisava ser! Eu nunca estivera na capital do Amazonas, mas conhecera boas pessoas de lá, e ouvira um pouco sobre o “encontro das águas”, a Zona Franca e, é claro, do Templo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

 

Grande Manaus

Eu não sabia, entretanto, que Manaus era tão moderna e tão exótica ao mesmo tempo. Depois de quatro horas de voo (saindo de São Paulo), chegamos a uma cidade enorme – com vários shoppings e arranha-céus. Fiquei boquiaberto de ver uma cidade moderna dinâmica – e acelerada.

A região metropolitana de Manaus é a sexta maior do Brasil e a primeira do Norte do país. Sua população ultrapassa 2 milhões – embora um dos taxistas que nos atendeu tenha dito com absoluta convicção que Manaus já ultrapassava 3 milhões de pessoas.

Manaus é uma das cidades brasileiras mais conhecidas no exterior. É o 10º maior destino turístico do país. Isso ficou fácil de constatar quando fomos fazer um passeio de barco – para conhecer o encontro das águas, ver os botos e espionar os índios. Junto conosco havia vários turistas de outras partes do mundo: canadenses, australianos, peruanos, etc.

De cima, da direita para esquerda: O nascer do sol em Manaus, o Teatro Amazonas. vista da do centro antigo de Manaus e o Porto de Manaus

 

Exótica Cidade

O clima de Manaus é quente – mas daquele tipo úmido. Quando eu saía do táxi, que tinha ar condicionado, meus óculos embasavam devido ao mormaço. E eu, como gosto de calor, não me importava! De fato, o calor até que foi bom para nadar na praia de Ponta Negra. É, Manaus tem praia – mais de uma (dependendo da época do ano).

A praia de Ponta Negra é uma praia “construída” pelo homem à margem do rio. Uma praia muito bonita. De água doce, claro. E sem muitas ondas.

Visitamos outras atrações em Manaus – como o esplendoroso Teatro Amazonas, e ficamos encantados com sua beleza.

Comemos os famosos peixes de lá – Tambaqui, Pirarucu e Jaraqui. E experimentamos o famoso x-caboquinho (eu adorei!). Além, é claro, do tacacá (sopinha com camarões servida em cuias, que curiosamente se come com palitinhos).

Visitamos os índios e o Mercado Municipal

A Igreja em Manaus

Nós fomos recebidos em Manaus por uma família muito especial de membros da Igreja. Eles foram muito hospitaleiros. Inclusive sentimos muito o amor dos membros da Igreja em Manaus. Participamos de uma noite familiar, passeamos com alguns deles, jantamos com outras – e estivemos no Templo.

A Igreja é muito forte em Manaus. Há várias Estacas (áreas que abrangem comunidades de aproximadamente 2 mil membros) e Seminários e Institutos de Religião (lugares para so jovens da Igreja aprenderem sobre a doutrina do evangelho).

Sobre o Templo: ele é lindo. Sua arquitetura me lembrou muito o Templo de Curitiba. Internamente, porém, o Templo de Manaus é único. Ele é lindo, como todos os Templos – mas possuí características singulares – que remetem a beleza da Amazônia. Os fiéis membros de lá amam o Templo. Eles fizeram grandes sacrifícios para merecerem uma casa do Senhor lá. Eu senti o poder espiritual do legado desses grandes irmãos quando estive no Templo.

Templo de Manaus

Primeiro Episódio

Lançamos o primeiro episódio da web-série “Mochileiros Sud“, que contou como foi nossa aventura em Manaus. Veja abaixo. Inscreva-se no canal para ver outros episódios episódio quando lançarem: Clique aqui!

Mais fotos:

Comemos um excelente Pirarucu e Visitamos lugares turísticos em Manaus

Foi muito divertido estar em Manaus – o coração da Amazonia

Assista ao primeiro episódio:

(Visited 414 times, 1 visits today)