Se você for como eu, Harry Potter é mais do que apenas uma série de livros que viraram filmes — é vida! Há muita tanta coisa sobre o mundo mágico que J.K. Rowling criou que eu amo. Sempre fico triste quando volto à realidade e tenho que encarar o fato de que não é real.

Como a popularidade da série cresceu, criaram-se parques temáticos e partes do mundo de “Harry Potter” ganharam vida. Nos parques, há muitas coisas para apreciar, mas acho que as comidas são as melhores. Não posso dizer que sou um grande fã de cerveja amanteigada, mas amo adoro os feijõezinhos de todos os sabores quase tanto quanto o Alvo Dumbledore.

Alvo sabe

Quem já assistiu os filmes ou leu os livros, saberá que Dumbledore é uma figura incrível da série “Harry Potter”. Ele é um pináculo acolhedor e peculiar de sabedoria. Muitas de suas palavras de encorajamento para Harry, por mais engraçado que seja, tem paralelos do evangelho. Outra maneira em que a série tem conotações do evangelho é com seus temas de amor, amizade e o bem triunfando sobre o mal.

Aqui estão cinco maneiras em que Dumbledore acertou quando se trata de verdades do evangelho:

1. Felicidade

“Pode-se encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias se a pessoa se lembrar de acender a luz.”

Harry

Como podemos metaforicamente acender a luz mesmo em nossas horas mais sombrias? A oração é uma conexão direta com o Pai Celestial. Quando nos achegamos a Ele em oração, é como se alcançássemos o interruptor da luz de nossa espiritualidade.

2. Escolhas

“São as nossas escolhas, Harry, que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades.”

Quando se trata do que podemos fazer por nossa conta, somos seres muito limitados.

Harry

Mas não se preocupe, Ron…

Neste mundo decaído, devemos buscar o Salvador para obter força. Por meio Dele, podemos realizar muito mais do que seríamos capazes por nossa conta. Nessa frase, gosto de inserir meu próprio nome ao invés de Harry. Fica personalizada. Também gosto de fazer isso ao ler as escrituras.

Nossas escolhas refletem o que está em nosso coração. Podemos ser limitados pelo que podemos fazer, mas o que podemos realizar diz muito sobre nosso caráter.

3. Amor

“Não tenha pena dos mortos, Harry. Tenha pena dos vivos, e acima de tudo, daqueles que vivem sem amor.”

Harry

Vou ser sincero, tenho pena do Ron durante esta cena em particular. Lilá estava doidinha de pedra! Mas para aqueles de nós que não têm namoradas loucas, devemos apreciar nossos relacionamentos. Como somos constantemente lembrados ao longo da série, o amor é realmente a coisa mais importante. Ele pode nos tirar da escuridão e pode até ser uma grande fonte de segurança. Acho que quando Dumbledore usa a palavra pena, ele não só quis dizer ter empatia, mas procurar ativamente ajudar.

É inútil se preocupar com coisas passadas e que não podemos mudar. Portanto deveríamos estar mais preocupados com aqueles que estão trilhando a mortalidade conosco do que com qualquer outra coisa. Em vez disso, devemos focar no nosso presente. Se tivermos amor na vida, devemos considerar-nos pessoas de sorte. O amor conquista tudo!

4. Palavras

“As palavras são, na minha nada humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia.”

Harry

As palavras são muito poderosas. Elas podem derrubar ou fortalecer alguém completamente. Felizmente para nós, a palavra do evangelho é incrivelmente acessível a nós. O Livro de Mórmon, em vez de ser mágico, é poderoso. Tudo o que devemos fazer para exercer este poder é lê-lo e seguir seus conselhos.

5. Humildade

“É uma coisa curiosa, Harry, mas talvez aqueles que são mais adequados para o poder são aqueles que nunca o procuraram. Aqueles que, como você, têm a liderança imposta neles, assumem o papel porque o devem fazer, e descobrem, para sua própria surpresa, que o desempenham bem.

Harry

Isto pode parecer surpreendente à primeira vista, mas se pensarmos bem, isso é verdade! Muitas vezes, as pessoas que parecem ser os mais humildes e desqualificadas são aquelas que são chamadas. Pessoas como Joseph Smith, que quase não tinha estudos, tiveram a liderança imposta a elas. A escolaridade formal de Joseph foi incrivelmente limitada. Era necessário que ele ajudasse o pai com os serviços da fazenda da família. Emma Smith até mencionou como ele às vezes tinha dificuldades para escrever uma carta simples, o que torna o fato de que ele traduziu o Livro de Mórmon muito mais incrível. O Senhor realmente sabe o que faz, não sabe?

Jesus Cristo nunca procurou glória ou poder. Ele só queria glorificar o Pai, como aprendemos em nosso estudo do plano de salvação. Assim, Ele se tornou a pessoa mais poderosa e importante que já andou na terra.

Obrigado, Dumbledore, para todas as suas palavras de sabedoria!

Deixe nos comentários abaixo, seu paralelo do evangelho favorito de “Harry Potter”.

Escrito por Thea Olson e publicado originalmente em Mormorhub.com.

Relacionado:

8 Tipos de Frequentadores do Instituto de Acordo com Harry Potter