Nas últimas semanas, fiquei inquieta, estressada e tentei me convencer de que não deveria escrever esta história várias vezes. Existem algumas coisas espirituais tão pessoais que ficamos sem coragem de submetê-las às críticas, aos comentários maldosos e à banalização do mundo virtual.
Mas toda vez que eu sentei no meu computador ou tentei dormir essa semana, essa história vinha à minha mente.
Eu não sou o tipo de pessoa que tem lampejos de revelação pessoal.
Não acordo com epifanias, nunca tive uma visão, não tenho sonhos me dizendo o que fazer e nunca ouvi vozes me guiando — só duas vezes na vida. Nessas duas vezes, o Salvador me disse as mesmas 6 palavras.

Bênção Patriarcal

A primeira vez foi quando eu recebi minha bênção patriarcal, aos 16 anos. O patriarca estava falando sobre um momento na vida pré-mortal, quando todos testemunhamos o momento em que nosso Salvador se ofereceu em sacrifício por nós. O patriarca disse: “Você ouviu a Jesus Cristo, o filho primogênito de Deus, oferecer-se em sacrifício para expiar os pecados e as falhas da humanidade. Você sabia que o que Ele fazer causar-lhe-ia terrível dor e sofrimento. Você sentiu Seu amor por nós e o amou profundamente. Esse amor crescerá novamente em seu coração”.

As 6 Palavras

Naquele momento, uma voz distinta falou direto à minha mente bloqueando todo o resto e encheu-me completamente de tranquilidade e paz. A voz disse: “Eu conheço você”. Em seguida, repetido várias vezes, “Você me conhece”.
Eu sabia naquele momento que era meu Salvador falando, embora não com palavras. Pude sentir Seu amor envolve-me instantaneamente e foi como se eu tivesse um pequeno vislumbre de como seria estar com Ele no mundo vindouro.
Embora esse tenha sido o momento mais espiritual, motivador e poderoso da minha vida até aquele ponto, eu era uma adolescente. A vida, o egoísmo, a escola, os planos e as ocupações muitas vezes me fizeram esquecer essa mensagem. Eu me lembrava de vez em quando ao ler minha bênção patriarcal. Mas muitas vezes o significado era esquecido com as distrações da vida.
Então, algo aconteceu para garantir que eu não me esquecesse daquelas palavras e do sentimento.

Primeira Vez no Templo

O dia em que ao tempo pela primeira vez, ao receber a ordenança iniciatória, ouvi essa mesma voz outra vez. Ela disse as mesmas palavras trazendo a mesma sensação avassaladora de amor e luz: “Eu conheço você. Você conhece”. Em um instante, compreendi que essas palavras abrangiam tudo o que importa nesta vida.
Essa frase é o foco central do meu testemunho. Essas 6 palavras são as únicas verdades do evangelho que conheço profundamente sem nenhuma pergunta, dúvida ou complicação. E percebi que isso é tudo de que preciso.

Creio que essa é a razão de eu receber apenas essas 6 palavras como revelação pessoal de maneira tão profunda. Com todas as boas intenções e os desejos bem-intencionados que muitas vezes me distraem do núcleo do evangelho, sei que o Pai Celestial e meu Salvador sabiam que eu precisava dessas 6 palavras para me manter firme. Eles sabem que eu preciso dessas 6 palavras para combater a confusão e a dúvida. Eles sabem que eu preciso dessas 6 palavras para sentir Seu amor e lembrar-me dele, não importa o que aconteça.

A Mensagem É para Todos

E por mais que essa experiência tenha sido algo profundamente pessoal para mim, sei que essas 6 palavras se aplicam a você também. O Pai Celestial e Jesus Cristo conhecem você. Eles amam você. E se você pudesse vislumbrar além do véu e recordar, saberia que você conhece e os ama também.
E isso é tudo o que importa.

Escrito por Danielle B. Wagner e traduzido por Luciana Fiallo Alves
Fonte: www.ldsliving.com

Relacionado:

As Experiências que Tivemos Antes de Nascer e Nosso Acordo Divino

(Visited 546 times, 1 visits today)