Foi exatamente no Ano Novo judaico, o Rosh Hashanah – em 22 de setembro de 1827 – que o jovem Joseph Smith foi autorizado pelo anjo Morôni a possuir, depois de anos preparação, as Placas de Ouro (cujo conteúdo parcial, após a tradução, se tornou o Livro e Mórmon). As Placas continham escritos que falavam “desde o ” com a finalidade de coligar Israel, em preparação para a Segunda Vinda do Messias.

Deus parece ter um propósito particular com este importante evento. Vemos isso quando relacionamos o próposito do Livro de Mórmon com o simbolismo da Santo Festa de Rosh Hashanah, também chamada Festa das Trombetas.


Dias Santos – Marcos Religiosos para os Judeus

Há sete feriados muito importantes, que podem ser analisados em três peregrinações ao templo em Jerusalém.

A primeira peregrinação na primavera, abrange três festas: a Páscoa, Bikkurim (filho mais velho), e o festival dos pães ázimos. Dentro destes festivais há o simbolismo do sacrifício, redenção, salvação e renascimento. Estas celebrações são ricas de símbolos messiânicos que dão testemunho de Cristo como o Messias. Estes símbolos concentram-se na Sua primeira vinda: Seu nascimento, Sua natureza, Sua missão, Sua crucificação, Sua Expiação e Sua ressurreição.

A segunda peregrinação ao templo ocorre no verão, em meio à seca sazonal. A Festa das Semanas celebra os atributos de Deus para nos ajudar durante a nossa passagem pelo deserto, as Escrituras e do Espírito Santo.

A terceira peregrinação é no outono, abrange três festivais sagrados refletem festivais de primavera. O simbolismo incide sobre a segunda vinda de Cristo e o julgamento final. Os três festivais são a Festa das Trombetas (Ano Novo, Rosh Hashanah), o Dia da Expiação (Yom Kippur), e o festival dos Tabernáculos (Sucot).

A natureza progressiva dos festivais nos leva através da história religiosa do mundo. Deus aparentemente determinou o cumprimento de promessas nestes feriados religiosos importantes, nestes Dias Santos.

via oneforisrael.com

 
Simbolismo dos Dias Santos

Durante Seu ministério terreno Cristo cumpriu as promessas simbolicamente representadas nos Santos Dias dos judeus. Ele nasceu na primavera, na Páscoa, e Ele era o cordeiro pascal. Pela corrupção do mundo foi oferecido como cordeiro primogênito pelos pecados da humanidade, ao ser crucificado, durante a Páscoa. Ele subiu em Bikkurim (filho mais velho) como o primeiro fruto da ressurreição, garantindo uma colheita perfeita de espíritos ressuscitados.

Durante Seu ministério Cristo adentrou os  lugares mais perigosos em Jerusalém para testemunhar, por si mesmo, as celebrações dos dias santos. Na Páscoa, Ele instituiu o Sacramento; no festival dos Tabernáculos, Ele interrompeu as festividades no Monte do Templo e ficou na frente do candelabro brilhando (menorah) para proclamar-se como a Luz do Mundo. Ele interrompeu a libação de água na mesma ocasião, para proclamar-se a Água da Vida.

Após a morte e ressurreição de Cristo, os apóstolos receberam o Espírito Santo durante a peregrinação da festa de semanas. Esta exibição pública, o som de precipitação de ar, acompanhado pelo dom de línguas, impressionou os peregrinos de muitos lugares, por causa do efeito simbólico da data.

Em 1830, o ano em que foi organizada A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, a Páscoa começou na noite de 6 de Abril.

Elias, Moisés, Elias, o profeta e o próprio Cristo Vivo, apareceram a Joseph Smith e Oliver Cowdery no Templo de Kirtland – e isso ocorreu em Bikkurim (durante a semana da Páscoa), em 03 de abril de 1836.

A entrega das placas de ouro coincidiu com a Festas de Trombetas, em 22 de setembro de 1827.


O que é a Festa das Trombetas?

A Festa das Trombetas é o arauto dos últimos dias – é o aviso a respeito da última chance de arrependimento. A lua nova surge e as leis de shmita (ano sabático), o Jubileu, dízimos de vegetais, e plantação de árvores (para determinar a idade de uma árvore), etc são determinados.

Após a temporada longa, seca, é finalmente hora de começar a orar por chuva. A safra final é colhida, e fotos de casamento dominam a temporada. É hora de encontrar o noivo. É hora de certificar a dignidade da noiva, a Igreja.

Neste momento, o desejo principal é ser digno de estar no meio de uma “comunidade de santos.” Durante o mês de Elul, antes do Festa das Trombetas, os celebrantesrecitam os atributos de Deus, na esperança de imitar: “O Senhor, o Senhor Deus, misericordioso e piedoso, sofredor, e grande em graça e em verdade; mantém sua misericórdia até a milésima geração,  perdoas a iniquidade, a transgressão e o pecado, absolvendo seu povo “(Winter, O Santo Dias).

A mensagem da Festa é urgente: é uma chamada para que homens e mulheres, em todos os lugares, acordem, levantem-se e passem a conhecer os desígnios de Deus, pois os justos que estão prestes a ser separados dos maus. O sinal para acordar e levantar-se o som do templo, o som das trombetas (Shofar): trombetas de prata sopradas por mais de 100 sacerdotes!

Esta é a chamada final ao arrependimento, marcando o início dos Dias de Temor (10 dias de arrependimento nacional, o Dia da Expiação (Yom Kippur), e o julgamento final (festival dos Tabernáculos). Uma vez que os justos estão aprovados seus nomes poderão ser escritos no Livro da vida de Deus. Por isso a saudação, padrão durante a Festa das Trombetas, é chatimah Tovah: “que sejamos inscritos no livro da vida com uma boa assinatura”.


O Livro de Mórmon como o toque de uma trombeta

ouro placas
O Livro de Mórmon, a voz  que proclama desde o pó nestes últimos dias. Ele foi dado a Joseph Smith com a finalidade de despertar e reunir Israel, em preparação para a Segunda Vinda.

“… E por esta razão vos escrevo, para que saibais que deveis todos comparecer ante o tribunal de Cristo, sim, todas as almas que pertencem a toda a família humana de Adão; e deveis comparecer para serdes julgados por vossas obras, sejam elas boas ou más. “(Mórmon 3:20)

As trombetas soaram! Estamos levando essa mensagem através do Livro de Mórmon em todos os lugares, à espera de pessoas que ouçam, acordem, levantem-se e unam-se, para que seus nomes possam ser escritos no Livro da Vida!

Assim é significativo que o Livro tenha sido entregue a Joseph, e por extensão a nós, justamente na Festa das Trombetas – reforçando o simbolismo da festividade e a mensagem do Livro.

 

Este artigo foi originalmente escrito por Gale Boyd para mormonhub.com e traduzido, adaptado e recebeu acréscimos de Lucas Guerreiro.

(Visited 1.737 times, 1 visits today)