Eu tenho essa teoria de que a chave para ganhar a luta pela liberdade religiosa é encontrada diretamente no Livro de Mórmon. Sim, o livro que milhões de pessoas em todo o mundo tentam provar verdadeiro ou falso. Independentemente de você acreditar ou não na veracidade do livro, não pode ser negado que haja um plano para preservar a nossa liberdade religiosa contida em suas páginas. Todo o livro atua como um tratado sobre o tema da liberdade religiosa, desde o início até o fim, com um herói de guerra no meio do livro para nos mostrar o caminho.

Capitão Moroni

A luta pela liberdade religiosa pode ser a batalha mais importante que travamos no período em que vivemos. Este foi definitivamente o caso para o capitão nefita conhecido pelo nome de Morôni. É louco pensar que os antigos habitantes do continente americano estavam na mesma situação em que nos encontramos hoje.

Aqui estão quatro estratégias importantes que o capitão Morôni usou quando não teve outra escolha além de se levantar e lutar contra aquelas pessoas que ameaçavam tirar a liberdade de religião dele e de sua família:

1 – Faça um compromisso para se levantar e lutar

Um dos pais fundadores que lançaram as bases para a liberdade religiosa neste país foi Thomas Jefferson. Jefferson disse:

“Em questões de estilo, nade com a corrente. Em questões de princípio, permaneça firme como uma pedra”.

Bem, é exatamente isso que Morôni teve que fazer cerca de 72 a.c. Ele tinha que permanecer firme como uma pedra diante de Amaliquias e um grupo de outras pessoas que desistiram da fé, e decidiram que queriam “destruir a Igreja de Deus” e “destruir o fundamento da liberdade” que Deus lhes concedeu . (Alma 46:10)

Quando Morôni ouviu isso, ele se certificou de que todos sabiam onde ele estava e que ele faria tudo o que estivesse ao seu alcance para defender os direitos de sua família, sua liberdade e seu direito de adorar a Deus. Fazer o compromisso de não enterrar a cabeça na areia foi o primeiro passo mais importante que ele poderia dar em sua luta pela liberdade religiosa. Ele não estava disposto a “jogar tudo pro ar”.

2 – Primeiro prepare-se espiritualmente

A maneira mais eficaz para os inimigos da religião se livrarem da religião é fazendo isso com uma pessoa por vez. A liberdade religiosa é ameaçada pelo fato de que a geração crescente em nosso mundo está em grande parte afastando-se de Deus e do secularismo. O ateísmo e o agnosticismo estão rápido crescimento entre os “Millennials” e essa geração crescente serão os advogados, juízes e políticos do futuro. Infelizmente, esse futuro não está muito longe. As famílias espiritualmente fortes são a única coisa que preservará a liberdade religiosa que conseguimos desfrutar em nosso país até agora.

O mesmo aconteceu no Livro de Mórmon, então Morôni fez algo interessante antes de fazer qualquer outra coisa. Em vez de forjar espadas e treinar exércitos como os inimigos estavam fazendo, Morôni saiu “preparando o espírito do povo para ser fiel ao Senhor seu Deus” (Alma 48: 7). Morôni queria fortalecer as famílias, pedindo que mudassem seus corações para Deus.  

Morôni preparou as mentes de sua família e seus compatriotas espiritualmente antes de fazer algo fisicamente. Morôni então encorajou as pessoas a fazer convênios com Deus e a não ter vergonha do evangelho de Cristo. Ele lembrou-lhes de seus antepassados que tinham vivido antes e do sacrifício que tinha sido feito para que eles pudessem estar naquela terra prometida com liberdade religiosa.

3 – Construa fortes lugares de refúgio

Depois que Morôni preparou as mentes do povo, ele começou a construir pequenos fortes como “lugares de refúgio“. (Alma 48:5) Ele construiu muros e outras fortificações e depois procurou as “fortificações mais fracas“. (Alma 48: 9) Quando ele encontrou um ponto fraco em sua fortificação, duplicou seus esforços no fortalecimento desse ponto fraco. Ele empregou essas estratégias defensivas para proporcionar segurança e refúgio contra a tempestade.

Construir esses fortes, no entanto, foi um trabalho árduo. Não era tão simples como estar sentado em suas tendas e orar pela segurança o dia todo. Esses nefitas religiosos e amantes da liberdade tiveram que sair e trabalhar proativamente para construir esses lugares de refúgio. A preparação espiritual e a oração são apenas um lado da equação.

Quando Brigham Young e alguns de seus companheiros tiveram seu vagão preso na areia enquanto atravessavam um rio, um dos companheiros de Brigham perguntou a Brigham: “Devemos orar?” Brigham respondeu: “Oramos esta manhã! Agora vamos sair e empurrar”. Não podemos nos esconder em nossas casas e esperar que nossa liberdade religiosa permaneça intacta. Temos que sair e empurrar.

4 – Comece a combater o mal do lado de dentro

Em um dos meus manuais favoritos da Igreja, lembramos que nossas famílias foram reunidas em uma sociedade da aliança para treiná-las para combater o mal. Estamos lutando as mesmas batalhas que Morôni lutou há quase 2.000 anos. Mas nós não estamos amontoando grandes quantidades da terra, nem construindo paredes físicas. Os fortes que construímos hoje como “lugares de refúgio” são de natureza espiritual.

O inimigo tornou-se muito mais inteligente e, ao invés de ultrapassar nossas cercas físicas, ele encontrará maneiras de se infiltrar em nossas fortalezas e causar caos ideológico do lado de dentro. Os fortes que construímos para nossas famílias devem ser ainda mais abrangentes do que os fortes nefitas. Nosso inimigo escava túneis por baixo, enviava ataques aéreos de cima e tinha a habilidade de se esgueirar invisivelmente na alma.

O inimigo de hoje sabe como destruir nós e os nossos filhos por dentro. Os fortes ou os refúgios poderão cair por conta própria, preparando o caminho para o mal entrar e infiltrar em nossas famílias e nos proporcionar esquecimento, se não estivermos atentos. Se isso acontecer, não haverá mais ninguém para defender a liberdade religiosa.   

Conclusão

Isso pode parecer uma lista simplista, mas eu realmente acredito que seja a chave para a preservação da liberdade religiosa. Podemos fazer muitas coisas para ajudar a preservar a liberdade religiosa, mas nenhuma coisa é maior ou mais importante do que garantir que a próxima geração entenda a importância da liberdade religiosa e depois ter a coragem para defendê-la.

Este artigo foi traduzido do inglês. Escrito por Greg Trimble “The 4 Most Important Things We Can Do In The Fight For Religious Freedom”

(Visited 235 times, 1 visits today)