SALT LAKE CITY – A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias devolverá 150 mil dólares de dízimos pagos por um homem que foi declarado culpado de tomar quase 25 milhões de dólares de 5,400 vítimas.

Um antigo CNBC especialista em gestão de renda, Curtis DeYoung de Draper, Utah, tirou o dinheiro de contas individuais de aposentadoria. Ele foi sentenciado a 10 anos de prisão e condenado a devolver o dinheiro às vítimas.

DeYoung tinha pago cerca de 240 mil dólares em dízimos para a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias com sua esposa, Michelle DeYoung.

Ela não foi acusada, mas a Securities and Exchange Commission a nomeou em um processo judicial para recuperar os fundos da American Pension Services, que ela possuía com seu marido.

A corte selecionou um receptor para recuperar os fundos, e o receptor requisitou que a Igreja retornasse as doações feitas.

“Como vocês podem imaginar, quando é pedido que a Igreja devolva fundos do dízimo, há um existente e cuidadoso processo para o fazê-lo. ” Disse o porta-voz da Igreja SUD Eric Hawkins.

“Neste caso, isto tem sido complicado pelo fato de que foi requerido a devolução de um membro da família que não foi considerado culpado das acusações. Então leva tempo e discussões, mas a Igreja tem cooperado totalmente com a negociação de um acordo. ”

Na corte federal, a Igreja argumentou que qualquer quantidade doada por Michell DeYoung não era recuperável e que o receptor precisaria mostrar que cada transferência de dinheiro de APS para os DeYoug era fraudulenta, mas a Igreja estaria totalmente disposta a seguir as recomendações das autoridades.

Também foi dito que isso violaria a cláusula de estabelecimento da Primeira Emenda se o tribunal avaliasse o valor dos benefícios pessoais e espirituais recebidos pelos DeYoung em relação com as doações.

A Igreja e o receptor fizeram um acordo de 150 mil dólares. O juiz Robert Shelby aceitou o acordo no dia 25 de maio.

A igreja tem colaborado completamente com a justiça para a devolução do dinheiro das ofertas pagas pela pessoa declarada culpada. Isto demonstra o compromisso dos mórmons não só em cumprir as leis do país, mas também com a ética e valores de uma sociedade justa.

Escrito por Tad Walch para Deseret News.

(Visited 10.374 times, 2 visits today)