Madeleine Wilford deveria ter morrido. Mas Deus deu um milagre à família dela.

Madeleine, a vítima mórmon de 17 anos de idade estava na Marjory Stoneman Douglas High School em Parkland, Flórida, estava na aula de psicologia quando ouviu tiros. Ela se escondeu atrás do púlpito usado pelos professores, mas não foi suficiente para protegê-la do que estava por vir.

“De repente senti que um tiro tinha me atingido”, Madeleine disse posteriormente. “Percebi que tinha levado um tiro e comecei a sentir uma dor imensa. Naquele momento, achei que ia morrer. Comecei a gritar ‘Socorro! Socorro! Eu estava desesperada. Eu não sabia o que fazer.

Então ela sentiu uma súbita onda de paz e ela desmaiou.

A tragédia

O atirador Nikolas Cruz, de 19 anos, matou 17 de seus colegas e professores. Cruz atirou em Madeleine quatro vezes no peito, abdômen e braço. Ela foi um dos 16 feridos.

As equipes médicas chegaram para liberar o local. À primeira vista, Madeleine parecia já ter passado para o outro lado do véu. Em seguida, um policial a sacudiu e ela se mexeu.

Um membro da equipe da SWAT do xerife de Broward colocou um selo de emergência peito nela para evitar que o ar escapasse por um pulmão atingido. O Dr. Igor Nichiporenko, diretor médico dos serviços de trauma de Broward North, posteriormente confirmou que essa manobra salvou a vida dela.

Em seguida, ela foi levada de ambulância para o Centro de Traumas de Broward North, que ficava cerca de 30 quilômetros mais perto mais perto do que o principal Centro Médico de Broward em Fort Lauderdale. Lá, ela passou por três grandes cirurgias em questão de dias e várias transfusões de sangue.

Visitas especiais

Madeleine

O Élder Gary E. Stevenson do Quórum dos Doze Apóstolos a visitou no hospital e conferiu-lhe uma bênção do sacerdócio. Madeleine mais tarde, falando sobre a experiência, disse que “havia uma imensa quantidade de paz no quarto”. O Élder Stevenson também leu 2 Néfi 2:2 com ela, dizendo que Deus “consagrará [a aflição dela] para [o benefício dela]”.

A equipe da S.W.A.T. do Xerife do Condado de Browland também a visitou. Madeleine e sua família expressaram gratidão por ter salvo sua vida.

Madeleine

Finalmente, Madeleine e sua família conheceram o presidente Donald Trump e a primeira-dama. O presidente Trump prometeu-lhe uma carta de recomendação personalizada para sua futura aplicação para a Universidade Brigham Young.

madeleine

Apenas uma semana após o tiroteio, Madeleine recebeu alta do hospital.

“Ela foi baleada quatro vezes com um rifle de assalto à queima-roupa, e agora ela está sentada lá embaixo uma semana mais tarde com dois amigos da igreja, rindo. Não acredito”, disse seu pai David Wilford  ao Deseret News sobre o milagre.

Alaina Petty

Madeleine perdeu a amiga Alaina Petty, uma mórmon de 14 anos de idade, cadete da Subdivisão de treinamento de oficiais juniores da reserva (JROTC) e vítima do massacre, que, postumamente, recebeu uma medalha de bravura do exército americano. Madeleine e Alaina costumavam acampar juntas.

“Eu a amava”, disse Madeleine. ‘Ela sempre animava a sala. Ela era sempre alegre e espirituosa. Ela sempre fez as pessoas rirem. Foi difícil perdê-la e descobrir que ela estava morta. Sei que ela está em um bom lugar”.

Consolo no discurso de Madeleine

Duas semanas antes do assassinato, Madeleine fez um discurso na igreja. Ela lembra de ter dito que “a maioria das pessoas dizem que não acreditam em Deus porque se existisse um Deus, todas essas coisas terríveis não estariam acontecendo. Mas é isso o que viemos fazer na terra, perseverar a vida toda e enfrentar os altos e baixos. A única maneira enfrentar tudo isso melhor é buscar a Cristo e saber que Ele sempre tem um plano para nós e que Ele vai nos ajudar, aconteça o que acontecer”.

As palavras de Madeleine não servem de grande consolo apenas para sua família e seus amigos, mas também ajudar aqueles que passaram pela tragédia e não receberam os milagres que eles desejaram.

Madeleine e seus pais expressaram publicamente sua gratidão pelo milagre de sua vida. No dia do tiroteio, Missy Cantrell Wilford escreveu no Facebook:

“Eu tenho que agradecer o meu Senhor e Salvador por poupar a vida da minha filha hoje”.

Escrito por Melanie Blakely e publicado originalmente no site Mormonhub.com.

Relacionado:

Vítima SUD fortalecida por visita do Élder Stevenson