Mórmons, Católicos, Muçulmanos, Judeus e outros líderes religiosas se reuniram no dia 7 de novembro de 2017 na Igreja Jesuíta St. Peter & Paul em Detroit, EUA. O objetivo desse encontro foi trocar conhecimentos e experiências sobre a Liberdade Religiosa.

Liberdade Religiosa

Proteger a liberdade religiosa não é somente uma responsabilidade da Suprema Corte de Justiça, do legislador local, ou do rabino judeu na sinagoga local. Cada pessoa, apesar de seu nível de experiência, pode fazer algo, disse Élder Von G. Keetch, setenta autoridade de área de a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

“Os que estão envolvidos no processo frequentemente dizem que o esforço de proteger a liberdade religiosa é o ‘o trabalho duro da cidadania.'” Élder Keetch disse. “Todos nós precisamos estar envolvidos. O templo de se esperar que outros defendam nossos direitos e encontrem um comprometimento satisfatório para nós acabou.”

Falando para companheiros Cristãos, e também Budistas, Siques, Muçulmanos, Judeus e outros reunidos na conferência de liberdade religiosa de um dia, Élder Keetch compartilhou a abordagem para defender liberdade religiosa da Igreja. Isto inclui a ideia que nem todas as liberdades religiosas são criadas igualmente.

Entre as prioridades principais, divulgadas em julho de 2016 pelo Conselho Geral da Igreja, estão as liberdades de se acreditar, adorar, expressar, fazer proselitismo e determinar doutrinas e padrões de filiação. Próximo das prioridades principais estão as liberdades de não se receber punição por causa da fé, e também que as organizações religiosas sem fim lucrativos tenham altos padrões de contratação que refletem suas crenças religiosas.

O arcebispo de Detroit Aleen Vigneron também falou no evento. Ele mencionou os comentários do Élder Keetch sobre como a liberdade religiosa é tanto trabalho do leigo quanto dos legisladores. De especial importância, ele disse, é o trabalho diário dos pais guiando os filhos à verdade.

Liberdade religiosa importa para os pais conforme “eles busquem cumprir sua tarefa de compartilhar o que eles sabem ser certo e errado, bom ou ruim, com suas crianças.” Disse o arcebispo. “Apesar de prover moradia, alimentação e vestimentas para os filhos é vital, a maior responsabilidade parental é ensinar sobre a verdade e o que é verdadeiramente bom, verdadeiramente ruim, verdadeiramente um fracasso, e verdadeiramente um sucesso.”

Élder Keetch, que trabalhou com direito por mais de 25 anos antes de se tornar um líder de serviço integral da Igreja, concluiu sua palavras com um chamado a ação em três etapas, para ajudar pessoas de fé a defender a liberdade religiosa.

  1. Fique informado. Visite religiousfreedom.lds.org e então aprenda quais problemas estão afetando sua comunidade, escolas e legislação estadual.
  2. Esteja envolvido. Vote e faça com que os políticos saibam que essas questões importam pra você.
  3. Seja um exemplo dos fiéis. Deixe que as pessoas vejam o melhor e máximo de sua fé. Seja um vizinho gentil e um membro da comunidade que contribui.

“Quando as pessoas entenderem que sua vida cheia de fé é boa, eles respeitarão você e estarão mais inclinados a ouvir quando você mencionar que suas liberdades estão sendo ameaçadas.” Disse Keetch

O evento foi organizado pela Sociedade de Direito J. Reuben Clark da Universidade de Brigham Young, a Conferência Católica de Michigan e a Escola de Direito Mercy da Universidade de Detroit.

Fonte: MórmonNewsroom

 

 

(Visited 213 times, 1 visits today)