Algo incrível está acontecendo na Igreja, e se você não estiver animado com as mudanças, deveria estar. Estamos vendo uma tendência da mudanças na política e nos procedimentos que vão renovar nosso foco sobre os princípios do evangelho, na sua forma mais pura. Os profetas estão nos pedindo para simplificar. Para colocar nosso coração no lugar certo. Para amar. E eles estão fazendo mais do que apenas pedir. Estão tentando eliminar eventuais obstáculos dentro da Igreja que podem distrair-nos do objetivo final.

Vou dar quatro exemplos, em ordem cronológica, começando em 2017:

1. Os indicadores-chave dos missionários

Durante anos, houve nove “indicadores-chave”, ou relatórios estatísticos, que os missionários passavam aos líderes da missão toda semana. Mas em janeiro de 2017, a Primeira Presidência eliminou cinco desses indicadores. Agora os missionários só precisam relatar o seguinte:

  • Novos pesquisadores
  • Pesquisadores que assistiram à reunião sacramental
  • Pesquisadores com batismo marcado
  • Pesquisadores batizados e confirmados

Quando eu era missionário, usávamos todos os nove indicadores. É fácil para os missionários ficarem tentados a simplesmente tentar agradar os líderes da missão com números impressionantes em vez de ministrar às pessoas em suas áreas como Cristo faria. Muitos relatórios estatísticos podem facilmente confundir as motivações. Retirar alguns destes relatórios torna o ato de ministrar à maneira do Salvador mais fácil.

2. Escoteiros da América e do Canadá

Na época, em vigor desde o ano novo de 2018, as unidades Varsity/Venturing de escoteiro foram descontinuadas como programas patrocinados da Igreja. Não importa o motivo pelo qual isso aconteceu, mas cortar este galho da árvore traz foco renovado ao tronco — Cristo e Seu evangelho.

3. Sumos Sacerdotes

Os últimos dois exemplos vêm da última Conferência Geral. Primeiro, como sabemos, o Presidente Nelson eliminou o grupo de sumo sacerdotes da ala e colocou-os junto com o quórum de élderes. De acordo com uma carta publicada pela Primeira Presidência, esta mudança foi feita para “centralizar os esforços do Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de Socorro em ministrar como o Salvador”.

4. Mestres Familiares e Professoras Visitantes

Depois o Presidente Nelson anunciou que os programas de mestres familiares e professoras visitantes seriam descontinuados imediatamente. Eles foram substituídos por uma versão mais simples, com o mínimo de relatórios numéricos. Contudo, o programa enfatiza mais a responsabilidade de ministrar à maneira do Salvador.

O que todas essas mudanças significam

Desde 2017 vimos a morte de diversos indicadores-chave, do escotismo nos EUA e no Canadá, do grupo de sumo sacerdotes e do programa de mestres familiares e professoras visitantes. O que vem depois?

Estamos cercados de mudanças. As coisas estão mudando mais rápido do que nunca na Igreja. Vejo um retorno à simplicidade. Uma oportunidade para purificar nosso coração, nossas intenções e agendas, a fim de agir mais como Cristo. Uma transição metafórica de um paradigma tipo lei de Moisés para o paradigma do evangelho de Jesus Cristo. A tendência sugere-me que Deus está nos exortando a santificar-nos, a esquecer os números, a ter menos reuniões, a sair e a ajudar alguém.

Acho que podemos esperar que a tendência continue. Creio que uma nova era do mormonismo está alvorecendo, por mais dramático que isso soe. A questão agora é: o que faremos a respeito de todas essas mudanças?  Vamos ter a visão profética ou assistir a tudo passivamente e ver a história da Igreja moderna simplesmente acontecer diante de nossos olhos? Responderemos aos chamados? Atenderemos às expectativas e faremos nosso melhor para seguir os passos de Cristo? Irmãos e irmãs, é hora de trabalharmos.

Fonte: Mormonhub.com.

Relacionado:

Ministrar substituirá os programas de Mestres Familiares e Professoras Visitantes