5 Crenças Mórmons muito legais de se conhecer

Seja essa a primeira vez que você ouve sobre uma crença da Igreja Mórmon (um apelido comum para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias), ou se tem dificuldade para compartilhar o que acredita, aqui está um vídeo de James The Mormon explicando cinco crenças mórmons fundamentais.

Essas crenças são muitas vezes mal compreendidas ou podem parecer estranhas para algumas pessoas quando ouvidas pela primeira vez. Portanto, para aqueles que ainda gostariam de saber mais, aqui vai uma visão um pouco mais profunda destas cinco crenças mórmons que muitas vezes fazem algumas pessoas aderirem a essa religião.

Revelação pessoal

Todos podem receber revelação pessoal

Acreditamos que somos todos filhos de Deus. Deus não é referido nas escrituras como Pai? Ele é o Pai de Cristo, mas nós também o chamamos de Pai, porque Ele criou a Terra e cada um de nossos espíritos. Assim como cada um de nós tem um pai terreno, Ele é o Pai de nosso espírito. Ele quer que nós conheçamos Ele e que falemos com Ele em oração. Ele também se comunica de volta, dando revelação pessoal e inspiração específica para cada pessoa.

Existem várias maneiras que podemos receber revelação pessoal. Ela pode vir através de sentimentos tranquilos em seu coração, pensamentos, sonhos, a “voz mansa e delicada” (1 Reis 19:12) do Espírito Santo, e, ocasionalmente, e para fins muito específicos, formas mais dramáticas, como visões ou visitações.

Muitas vezes, a revelação pessoal vem como resultado da busca por Deus: orando, jejuando e lendo as escrituras em busca de respostas. Os mórmons acreditam nesses momentos de revelação pessoal para fornecer orientação e direção em nossas vidas.

Serviço não remunerado

Mórmons tem um clero local não remunerado

Como mencionado no vídeo, cada posição nas congregações locais mórmons não são remuneradas, mas voluntárias. Membros doam seu tempo e talento para ensinar lições, preparar música, cuidar da escola dominical e das classes primárias, servir no templo, sair em missões e ajudar a qualquer um que precisar, sejam eles membros de nossa igreja ou não.

Então como é que a Igreja se apoia, então? Embora isso ajude muito, a maioria do apoio vem de membros fiéis em todo o mundo. Seguindo a lei do dízimo estabelecido no Antigo e Novo Testamentos, os membros voluntariamente doam dez por cento de seus ganhos para ajudar a construir e manter as capelas e os templos, a impressão de escrituras e hinários para as reuniões, prestar ajuda humanitária, manter programas de ensino para desenvolvimento dos seus membros, entre outros.

Basicamente, os mórmons se esforçam, como todos os outros cristãos, para melhorar este mundo através do serviço e amor aos outros, tanto dentro como fora de sua religião.

Profetas vivos

Deus fala por meio de profetas vivos

Acreditamos que, além de orações, Deus sempre seguiu o padrão de falar por meio de profetas. Desta forma, ao invés de Deus dar instruções a cada pessoa, Ele pode agir através de Seus servos designados.

Antigamente, os profetas advertiam contra o perigo, chamavam as pessoas ao arrependimento, ensinavam o evangelho de Cristo, e escreviam as instruções que receberam de Deus, que são as escrituras que nos guiam ainda hoje.

Estas são exatamente as mesmas coisas que os profetas e apóstolos modernos fazem, só que em vez de escreverem escrituras, eles testemunham e ensinam as doutrinas de Cristo a cada seis meses em uma reunião gigante conhecida como Conferência Geral. Seus ensinamentos são transmitidos, transcritos, impressos, traduzidos e disponibilizados para todo o mundo em 43 idiomas diferentes (e partes dela disponibilizados em 93 idiomas).

Então, como vamos saber que seus ensinamentos são realmente de Deus? Cristo disse: “Pelos seus frutos os conhecereis.” As palavras deles elevam e fortalecem sua fé em Cristo? Será que eles vivem o que pregam? Depois de orar e pedir ao Senhor, ponderar e ouvir suas palavras, podemos receber um testemunho pessoal de sua vocação, e ter fé neles como profetas vivos hoje.

Sem inferno tradicional

Mórmons acreditam numa vida após a morte com mais do que só céu e inferno

Uma das crenças que temos de mais valor, é a nossa crença na vida após a morte. Mas ao invés de separar a vida após a morte apenas entre céu e inferno, acreditamos que há muitos níveis diferentes de recompensa eterna, em vez de um sistema de “sucesso/fracasso”. Cristo, o próprio, disse que “na casa de meu Pai há muitas moradas”, sabendo que todos nós chegaríamos a diferentes níveis de retidão nesta vida.

Em última análise, acreditamos na graça. Nós acreditamos em Cristo, como nosso Salvador, Redentor e Advogado junto ao Pai. Acreditamos que, embora o Senhor peça o nosso melhor para seguir os mandamentos, Ele sabe que não conseguimos ser perfeitos por conta própria. É por isso que Cristo morreu. É por isso que Ele sofreu e fez a Expiação pelos nossos pecados, para haver graça, para haver misericórdia. Porque sem Sua misericórdia, nós todos seríamos expulsos da luz e da presença do Senhor. Nós não podemos ser salvos por conta própria.

Felizmente, o Senhor nos conhece. Ele nos conhece perfeitamente. Ele conhece nossas fraquezas, pecados e erros, mas ele também sabe as nossas boas obras, nossos desejos, e nosso coração. Cada pessoa na Terra é única, por isso acreditamos que o céu não é um “modelo único”.

Três níveis no céu e o inferno

Os mórmons acreditam em três níveis no Céu, chamados reino Celestial, reino Terrestre e reino Telestial. O reino celestial é um lugar para aqueles que foram batizados, se arrependeram de seus pecados, deram o seu melhor para guardar os mandamentos, e têm um testemunho de Jesus Cristo. Estes são aqueles que serão capazes de habitar para sempre na presença do Pai Celestial e Seu Filho Unigênito.

Os reinos terrestre e telestial são reinos inferiores – ainda um ato de misericórdia e um bom lugar para se viver, mas longe de toda a glória do Pai e do Filho. Onde o Senhor preparou um lugar para aqueles que não foram valentes em seu testemunho de Jesus, rejeitaram o evangelho, ou escolheram viver uma vida de pecado sem se arrependerem.

“Inferno” (chamado Trevas Exteriores), nas crenças mórmons, está reservado somente para aqueles poucos, muito poucos, que tiveram um conhecimento firme de Jesus através do Espírito Santo, e em seguida escolheram negar e rejeitar Cristo. Sem a graça de Sua expiação, eles não podem entrar no céu. No entanto, será por causa de sua escolha intencional e coração mau, não uma punição infligida àqueles que ainda têm um pingo de luz dentro de si.

Julgamento final

E as crianças que morreram sem o batismo, aqueles que ninguém ensinou o evangelho de Cristo, ou aqueles que cometeram erros mas nunca tiveram a chance de se arrepender nesta vida? E eles?

Acreditamos que antes do julgamento final, existe e continuará a existir um esforço missionário enorme do outro lado, ensinando aqueles que morreram a respeito de Cristo, dando a eles a oportunidade de crer Nele e aceitar o Seu sacrifício.

É por isso que os mórmons procuram ativamente por registros genealógicos, e realizam ordenanças por procuração (como o batismo) para eles em templos sagrados. Para que as pessoas que morreram tenham a opção de aceitar ou rejeitar. O apóstolo Paulo referenciou esta prática, dizendo: “Doutra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se batizam eles então pelos mortos?” (1 Cor 15:29)

No final, a justiça perfeita de um Deus perfeito ainda exigirá compensação pelos pecados que cometemos. Mas a crença mórmon da vida após a morte não é apenas entre Céu o Inferno. É um lugar de “muitas moradas”, onde há muitos níveis e oportunidades diferentes para o trabalho missionário, misericórdia e graça de um Pai Celestial amoroso.

Famílias Eternas

Famílias podem ser unidas para sempre

Os mórmons acreditam que algumas das maiores alegrias nesta vida vem através de uma vida familiar centrada em Jesus Cristo. Essas relações preciosas entre marido e mulher, pais, filhos e irmãos nos ensinam sobre o altruísmo, serviço, paciência e amor … todas as características do nosso Pai perfeito no céu.

O próprio Senhor é identificado em primeiro lugar nas escrituras como “O Pai”, escolhendo um título familiar com mais frequência do que um outro título para si mesmo, e identificando-se como um Pai, tanto para Cristo como para nós. A palavra “Pai” aparece quase 1.000 vezes na versão do Rei Jaime da Bíblia. O título principal de Jesus foi muitas vezes “O Filho”. Foi dito nas escrituras que aqueles que se arrependem são filhos de Deus e co-herdeiros de Cristo. (Romanos 8:17) O Senhor também estabeleceu a instituição divina do casamento – um mandamento bíblico – e Cristo falou sobre essa importante ordenança, “o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6).

Todas estas coisas apontam que a família é o ponto focal de nossas vidas, tanto aqui na Terra como depois. Paulo falou aos Efésios: “Por causa disso me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome” (Efésios 3: 13-15).

O casamento foi dado por Deus como uma das bênçãos mais sublimes deste mundo, e nós acreditamos que esses casamentos podem continuar na próxima vida. Jesus disse a Pedro em Mateus 18:18: “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu”, dando ao seu apóstolo maior o poder de ligar as coisas, “selar” não apenas para esta vida, mas para a eternidade . Os casamentos realizados sem esse poder tem a capacidade de unir um casal enquanto durar a sua vida na terra, mas acreditamos que essas relações preciosas, forjadas por Deus e alimentadas ao longo de vidas inteiras, não foram feitas para serem quebradas no momento da morte. Através das ordenanças de selamento realizadas no templo, elas são feitas para durar para sempre.

Validade da bençãos para os que já se foram

Mórmons gastam muito tempo e recursos procurando os registros daqueles que já faleceram, e fazem procurações por eles no templo (incluindo selamentos de famílias para a eternidade), esperando sinceramente que eles aceitem do outro lado do véu. Desta forma, todas as famílias dignas podem estar juntas depois desta vida, mesmo sem nunca terem acesso a um templo em suas vidas.

E quanto àqueles que são dignos e que nunca receberam a bênção do casamento neste mundo, apesar de seus desejos justos? Deus é amor, e nós acreditamos que o Senhor não reterá qualquer bênção eterna de um de Seus filhos fiéis. Através do poder de selamento disponíveis nos templos sagrados, todos ficarão bem.

Acreditamos que a família, que é o centro de nossas vidas aqui, não termina com a morte, que os maridos não se separam de sua esposa, ou as crianças dos pais, mas que todos podem ser exaltados e selados como uma grande família com Deus no leme. E as relações que são queridas para nós, que dão a nossas vidas significado e alegria, podem ser eternas, e continuar nos reinos celestiais.

Se você tiver mais dúvidas sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, não hesite em enviar um e-mail para português@moregoodfoundation.org.

Artigo de James The Mórmon. Traduzido para o mormonsud.net.

(Visited 1.303 times, 1 visits today)