Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Mórmons, sabem que a vida não começou com o nascimento – e nem termina com a morte. Este “estado” mortal é apenas um entre muitos de uma existência infinita.

 

O PLANO DE SALVAÇÃO

Para compreender os que os mórmons acreditam sobre a vida após a morte é preciso levar em consideração o que eles acreditam sobre a vida pré-mortal e o Plano de Deus, centralizado em Jesus Cristo.

Deus, nosso Pai Celestial, apresentou-nos, quando morávamos com nos céus, um Plano para que pudéssemos progredir e nos tornarmos como Ele – tendo Vida Eterna. Um aspecto importante do Plano era deixar a presença Dele, vir a uma Terra, ganhar um corpo físico, ser provado, morrer e ressuscitar. Foi escolhido um Salvador para nos ajudar. Jesus Cristo se propôs a nascer no Meridiano dos Tempos para vencer o pecado e a morte, e deixar-nos Seu exemplo.

Quando Deus criou a Terra e colocou Adão e Eva sobre ela não havia morte. Porém, quando Adão comeu do fruto proibido, no Jardim do Éden a morte foi introduzida no mundo. A morte é um ponto vital do Plano. Sem morte não há necessidade de um Redentor.

 

MUNDO ESPIRITUAL

Alma, um profeta do Livro de Mórmon, explicou a seu filho que “deve haver um espaço entre a hora da morte e a hora da ressurreição” (Alma 40:6). Ele também disse que “com relação ao estado da alma entre a morte e a ressurreição — eis que me foi dado saber por um anjo que o espírito de todos os homens, logo que deixa este corpo mortal, sim, o espírito de todos os homens, sejam eles bons ou maus” é levado a um mundo espiritual – os bons sendo recebidos em um estado de felicidade e paz, e os iníquos em um estado “de espantosa e terrível expectativa da ardente indignação da ira de Deus sobre eles.” (Alma 40:11-14).

Chamamos a parte do Mundo Espiritual onde se encontram os justos de paraíso ou céus, e a parte onde estão os que não são justos de inferno ou prisão.

Diferente do que pensam muitos religiosos, sabemos que o céu e o inferno, do mundo espiritual, não são o destino final dos filhos de Deus.

O Apóstolo Pedro referiu-se ao mundo espiritual pós-mortalidade como uma “prisão”, o que realmente é para alguns (ver I Pedro 3:18–20). Na prisão espiritual estão os espíritos daqueles que ainda não receberam o evangelho de Jesus Cristo. Esses espíritos possuem o livre-arbítrio e podem ser influenciados tanto pelo bem como pelo mal. Se aceitarem o evangelho e as ordenanças realizadas em seu favor nos templos, podem deixar a prisão espiritual e habitar no paraíso.

 

ONDE É O MUNDO ESPIRITUAL

É aqui mesmo, na Terra, mas em outra dimensão, que normalmente não conseguimos perceber. O Presidente Ezra Taft Benson disse: “Às vezes, o véu entre esta vida e a do outro lado torna-se extremamente tênue. Os entes queridos que nos deixaram não estão longe de nós” [1]. O Presidente Brigham Young ensinou que o mundo espiritual pós-mortalidade fica aqui na Terra, ao nosso redor [2]

 

COMO É A “VIDA” NO MUNDO ESPIRITUAL

Os seres espirituais possuem são bem semelhante a nós, mortais: a única diferença é que o corpo espiritual é perfeito em sua forma (ver Éter 3:16). Os espíritos levam da Terra as mesmas atitudes de devoção ou antagonismo às coisas justas (ver Alma 34:34). Eles possuem os mesmos desejos e inclinações que tinham quando viviam na Terra. Todos os espíritos têm a forma adulta. Eles eram adultos antes de sua existência mortal e são adultos após a morte, mesmo quando morrem bebês ou crianças [3]

Os justos e os iníquos estão separados (ver 1 Néfi 15:28–30), mas os espíritos podem progredir de um nível para o outro se aprenderem os princípios do evangelho e viverem de acordo com eles. Os espíritos que estão no paraíso podem ensinar os espíritos que estão na prisão (ver D&C 138).

 

RESSURREIÇÃO, JULGAMENTO E MORADA ETERNA

O mundo espiritual é uma morada temporária. As pessoas que estão lá ressuscitarão, serão julgadas e herdarão um Reino de acordo com suas obras e desejos. As escrituras ensinam sobre três reinos de glória: o reino celestial, o reino terrestre e o reino teleste (ver D&C 88:20–32). Há também um reino sem glória, que chamamos de Trevas Exteriores – onde serão lançados Satanás e seus seguidores  (D&C 76:28–35, 44–48)

Todos os que herdarem o reino celestial viverão com o Pai Celestial e Jesus Cristo para sempre (ver D&C 76:62). Por meio do trabalho vicário que realizamos nos templos, todas as pessoas que viveram na Terra podem ter a mesma oportunidade de receber a plenitude do evangelho e as ordenanças de salvação para que possam herdar um lugar no mais alto grau da glória celestial. Parte deste trabalho é realizado no mundo espiritual.

Para o reino Terrestrial irão aqueles que rejeitaram o evangelho na mortalidade, mas que o receberam depois no mundo espiritual. São as pessoas honradas na Terra, mas que foram cegadas para o evangelho de Jesus Cristo pelas artimanhas dos homens (D&C 76:73–79).

Para o Reino Telestial irão “os que são mentirosos e feiticeiros e adúlteros e libertinos; e todo aquele que ama e inventa mentiras” (D&C 76:81–88, 103–106, 109).

 

__________

NOTAS

[1] Conference Report, abril de 1971, p. 18; ou A Liahona, abril de 1972, p. 13.

[2] Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Brigham Young, 1997, p. 279.

[3] Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, 1998, pp. 129–130.

 

(Visited 2.130 times, 1 visits today)