Muitos dos meus colegas SUD explicam sua conversão como consequência de sentir o “peito arder”. Por quê? De onde vem essa frase? Por que tantas pessoas sentem o Espírito assim?

A origem do termo arder o peito

O termo arder o peito vem de D&C 9:8:

“E, se estiver certo, farei arder dentro de ti o teu peito.”

A seção é uma revelação diretamente para Oliver Cowdery explicando a ele como ele sentiria a manifestação do Espírito Santo ao traduzir as escrituras.

Mas mesmo que este versículo descreva a experiência que uma pessoa teria, muitos outros descreveram experiências semelhantes.

Em Lucas 24:32, aqueles para os quais Jesus apareceu depois de sua ressurreição disseram:

“Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as escrituras?”

Na verdade, esta experiência tem sido discutida amplamente fora as escrituras também. Justin Martyr, um dos primeiros cristãos, descreveu sua primeira experiência de aprendizagem sobre o Velho Testamento assim:

“Imediatamente uma chama foi acesa em minha alma.”

O popular pastor revivalista, Jonathan Edwards, sentiu o Espírito da mesma maneira:

“O sentimento que tive das coisas divinas, muitas vezes de vinham de modo repentino, como se fosse um agradável ardor em meu coração.”

Com tantas pessoas de tantas épocas e lugares vivenciando um ardor no peito, podemos esperar sentir o peito arder ou esperar que o sentimento não seja real. Nenhuma das expectativas é verdadeira.

diminuir o ritmo

Muitas manifestações do Espírito

Enquanto algumas pessoas descrevem sentir o Espírito como um calor, isto é, quase certamente, uma maneira de usar o vocabulário que eles têm disponível para descrever uma experiência que está fora de nossa existência física.

Boyd K. Packer disse: “Não temos as palavras que descrevem perfeitamente o Espírito.”

Podemos descrevê-lo como uma metáfora ou simplesmente a melhor maneira de descrever sua experiência. Mas o calor não é a única maneira que as pessoas descrevem experiências com o Espírito.

Som

Como ouvimos o Espírito parece outra maneira popular de descrever experiências do Espírito. Elias, o profeta, descreveu o Espírito como uma “voz mansa e delicada”.

Gosto

Joseph Smith descreveu o Espírito como “boa doutrina. O gosto é bom… Vocês sabem que o mel é doce, e eu também. Também sinto o gosto do Espírito da vida eterna.”

Movimento

Você pode ter ouvido alguém dizer que foi “movido pelo Espírito”. É assim que descrevo frequentemente minhas experiências pessoais com o Espírito. Embora devo admitir que o Espírito geralmente não faz meu corpo mover fisicamente. Esta descrição aparece ocasionalmente nas escrituras também.

Luz

Em resposta a uma pergunta sobre como eles poderiam dizer se algo vinha do Espírito, ele recebeu uma revelação com outra maneira de descrever o Espírito: “O que é de Deus é luz”.

Memória

O próprio Jesus descreveu experiências espirituais em termos de como isso afeta a memória, “Espírito Santo… fará lembrar de todas as coisas.”

Emoção

Em uma carta ajudando seus conversos a sentir o Espírito mais plenamente, ele descreveu as emoções que eles sentiriam: “amor, alegria, paz, longanimidade, mansidão, bondade, fé, mansidão e temperança”.

Deve vir como nenhuma surpresa que o espírito ensina as pessoas diferentes de maneiras diferentes. Quase todos os professores reconhecem que diferentes pessoas aprendem melhor com estilos diferentes de aprendizagem.

Como sei se estou me sentindo o espírito agora?

Com tantas maneiras diferentes que alguém poder sentir o Espírito, ele pode ser sentido mesmo sendo impossível saber se você está se sentindo o Espírito agora.

Isso não deve ser surpresa nenhuma. Aprender a melhor reconhecer e reagir ao Espírito deve ser uma busca a ser trabalhada a vida toda.

Aqui estão alguns passos que podemos seguir para ajudar nesse processo.

revelação pessoal

1. Bem e Mal

Compreender o que é e o que não é do Espírito nem sempre é complicado. Sim, há muitas maneiras diferentes de as pessoas sentirem o Espírito. Mas ninguém até hoje disse que ele tinha gosto de vinagre. Ninguém disse que ao sentir o Espírito tinha o sentimento de medo. Como Morôni explicou, “todas as coisas boas vêm de Deus.”

2. Se é bom, faça

Você aprenderá ao seguir fazendo coisas boas se o sentimento que o levou a fazer isso era o Espírito. E, enquanto confiar no que o que você aprendeu é bom, então você não precisa se preocupar se você está indo por um caminho perigoso.

3. Analise sua vida

Você é o maior especialista em sua própria vida. Então pensa sobre aqueles momentos na vida em que você se sentiu mais confiante por estar alinhado com a vontade de Deus. Como era o sentimento? Pense nas vezes que você percebeu que tinha sido guiado pelo Espírito depois disso. Os sentimentos eram parecidos?

4. Mantenha um diário

Ao vivenciar o processo de entrar em sintonia com o Espírito, escreva suas experiências. Tente escolher palavras que se encaixam melhor à sua experiência. Em seguida, voltar e leia o que escreveu. Ao longo do tempo, você começará a notar padrões.

Ao fazer um esforço consciente para aprender como o Espírito com você, você descobrirá a resposta. E se você não a descrever como a sensação de “arder o peito”, não tem problema.

Escrito por Christopher D. Cunningham no site Mormonhub.com

Saiba mais:

5 Citações Que Ensinam Sobre a Revelação Pessoal