Nada anima mais nosso espírito do que quando vemos membros novos e reativados que sinceramente buscam a verdade entrando ou voltando para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Vemos sendo cumprida a promessa de D&C 18:15:

“E, se trabalhardes todos os vossos dias clamando arrependimento a este povo e trouxerdes a mim mesmo que seja uma só alma, quão grande será vossa alegria com ela no reino de meu Pai!”

Ficamos felizes por eles e com eles. Pelo menos, deveríamos. No entanto, ao receber esses membros novos e reativados na ocasião de sua conversão ou regresso, nossa recepção deve reforçar os atributos de conversão em vez dos resultados. Nossa recepção deve reforçar a realidade que a conversão é uma jornada, não um destino. Fazer menos que isso é reforçar os resultados em vez do processo, a intenção em vez da ação e fé sem obras.

É importante receber bem os membros novos e reativados porque queremos que eles compreendam e apliquem a Expiação do Senhor Jesus Cristo na vida. Os membros novos e reativados estão sentindo o poder redentor da Expiação. É por isso que eles se achegam a Cristo por meio de Sua igreja. Também queremos que eles sintam e conheçam o poder capacitador da Expiação do Senhor Jesus Cristo.

É essencial para esta jornada, para os membros novos e reativados e para todos nós, termos a capacidade de cultivar uma configuração de mentalidade espiritual sobre nossa condição de membro e nosso ponto de vista do evangelho.

O que é uma configuração de mentalidade?

Carol Dweck, psicóloga e professora na Universidade de Stanford identificou duas configurações de mentalidade: fixa e de crescimento.

A pesquisa sugere que pessoas com configurações de mentalidade fixas acreditam que inteligência, caráter e capacidade criativa são inatas e imutáveis. Em outras palavras, não importa o quanto elas estudem ou o quanto se esforcem, elas estão praticamente presas com essas características. As pessoas com configurações de mentalidade fixas acreditam que seu potencial é limitado e por isso evitam desafios que testam suas habilidades.

Por outro lado, as pessoas com configuração de mentalidade de crescimento acreditam que o cérebro é um músculo que pode crescer e que as habilidades são ativas e que podem ser alimentadas com trabalho árduo. As pessoas com configurações de mentalidade de crescimento acreditam que elas nascem com matérias-primas — algo para desenvolver. Como resultado, eles prosperam em meio a desafios.

Todos nós temos configurações de mentalidade para as diferentes facetas da vida, inclusive nossa vida espiritual.

O que é uma configuração de mentalidade espiritual?

Correlacionando esses termos e essa pesquisa psicológicos ao evangelho, uma configuração de mentalidade fixa é na verdade uma mentalidade temporal. Por sua vez, uma configuração de mentalidade de crescimento é espiritual.

Uma configuração de mentalidade temporal enxerga o mundo em termos de ganhos e perdas, no qual fortuna e destino não estão em nosso controle. Essa configuração de mentalidade trata-se do aqui e agora. Na configuração de mentalidade temporal somos animais sem nenhuma forma de santidade. A soma total de nossas experiências de vida só tem valor temporal. Embora soe drástico, às vezes podemos ver alguns aspectos de viver o evangelho em uma configuração de mentalidade fixa ou temporal.

Provavelmente você alguma vez já pensou ou disse o seguinte:

  • Irmão Fulano é um gigante espiritual. Eu nunca vou aprender as escrituras como ele.
  • Irmã Beltrana é ótima professora. Eu nunca vou ensinar assim como ela.
  • Irmão Ciclano sempre toma decisões certas e vive uma vida abençoada. Minhas circunstâncias impedem que eu tenha esse tipo de retidão.
  • Irmão e irmã Fulanos têm um casamento perfeito. O casamento não é assim.

Se você já pensou ou disse algo assim, você enxerga o evangelho e o discipulado com uma configuração de mentalidade fixa ou temporal.

No entanto, uma configuração de mentalidade espiritual enxerga este mundo como uma semelhança do mundo vindouro. Ela considera que somos celestiais por natureza, que não somos apenas produto de nossos pais terrestres e das circunstâncias terrenas, mas literalmente filhos espirituais de nosso Pai Celeste. Uma configuração de mentalidade espiritual é o produto da fé e da compreensão do propósito da vida e do plano de salvação. Essa configuração de mentalidade acredita que o crescimento espiritual é não apenas possível, mas necessário para entender melhor a Expiação do Senhor Jesus Cristo.

Somente por meio de uma configuração de mentalidade espiritual podemos entender nossa verdadeira identidade, que somos filhos espirituais de nosso Pai Celeste e que todas as dádivas e bênçãos podem ser obtidas por meio da graça e do trabalho espiritual.

Por que o elogio certo é tão importante?

O que as pesquisas mostram sobre configuração de mentalidade é que se elogiamos as habilidades das pessoas, elas são empurradas em direção à configuração de mentalidade fixa. Se elogiamos os membros por frequentar a igreja de modo superficial e impreciso podemos empurrá-los para uma configuração de mentalidade fixa sobre a Expiação e o discipulado.

Os membros podem pensar que a frequência à igreja é a única exigência ou meta para a salvação.

Elogios que reconhecem o trabalho e o esforço de viver uma vida cristã ajuda as pessoas a desenvolver a sua configuração de mentalidade espiritual. Devemos compreender que o evangelho de Jesus Cristo é mais do que a frequência à igreja. O caminho para uma vida espiritual abundante é certamente marcado por demonstrações externas de nossa fé.

A verdadeira jornada está dentro de nós.

O poder capacitador e transformador da Expiação do Senhor Jesus Cristo funciona tanto no domingo quanto nos outros dias de semana. Se os membros acham que as mudanças espirituais sustentáveis ocorrem apenas 3 horas por semana, eles têm configuração de mentalidade fixa ou temporal.

Nossa meta real deve ser cultivar uma configuração de mentalidade espiritual em nossa jornada de discipulado. Como enxergamos nossa própria configuração de mentalidade espiritual pode afetar como elogiamos os membros e como os ajudamos a construir sua configuração de mentalidade espiritual.

Ao elogiar as pessoas por sua assiduidade em vez de suas ações e seu crescimento espiritual, será que estamos empurrando-os em direção à inatividade mais tarde quando ocorrerem provações, dificuldades e contratempos?

Como elogiamos a fim de construirmos uma mentalidade espiritual voltada para o discipulado?

Tenha em mente que não estou dizendo que elogiar as pessoas é errado ou prejudicial. Todo ato de bondade é virtuoso. O que estou dizendo é que elogiar e incentivar os outros de modo diferente pode ajudar a eles e a nós a desenvolver uma configuração de mentalidade de crescimento espiritual.

Embora este artigo seja voltado a membros novos e reativados, o princípio se aplica a todos os membros. O que estou propondo é que ao mudar nossos padrões de elogio podemos mudar nossa perspectiva e crescer nossa configuração de mentalidade espiritual.

A história do filho pródigo

Existem várias dimensões diferentes para a história do filho pródigo encontrada no evangelho de Lucas 15:11–32. Vamos imaginar o que foi ou o que não foi dito ao filho pródigo na igreja na semana seguinte que ele voltou para casa.

Embora não tenhamos um registro completo desta parábola, dá para imaginar a ala daquela família fazendo comentários de alegria quando o filho pródigo retornou. Fazemos isso porque de nossa alegria e nossa intenção é genuína.

O que a história não nos diz é que depois que o filho pródigo recebeu as bênçãos do poder redentor da Expiação de Jesus Cristo, será que ele permitiu que a Expiação o capacitasse para realizar boas obras e servir aos outros?

Durante o primeiro ano de reativação podemos imaginar os elogios que o filho pródigo recebeu: “Que bom ver você”, “Adorei seu testemunho”. “Sua aula foi ótima”.

Embora sejamos genuínos em nossa alegria ao ver aqueles que retornam como os filhos de Alma e o filho pródigo, não devemos apenas reconhecer o resultado da sua decisão de voltar, mas o processo, as escolhas e o trabalho que eles se comprometeram a fazer para retornar.

Por exemplo. Qual seria o efeito sobre o filho pródigo nesta história se durante o primeiro ano de reativação os membros o recebessem assim?

“Ver você na Igreja me dá vontade de vir também.”

“Adorei ver como seu testemunho tem crescido.”

“Eu admiro o modo como você se esforça para preparar as aulas.”

Não é mais honesto elogiar assim? Se for sincero, esse tipo de elogio não só reforça ações corretas, mas constrói um relacionamento.

Como devemos elogiar as pessoas?

Aqui estão alguns exemplos que são mais específicos aos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias modernos. Eles enfatizam tanto o processo espiritual como as ações tomadas para construir uma configuração de mentalidade espiritual.

  • Senti o espírito quando você ensinou hoje ou compartilhou seu testemunho
  • Eu admiro seu trabalho e esforço para preparar as aulas.
  • Sua jornada me inspira.
  • Admiro as escolhas e o esforço que você está fazendo.
  • Gostei muito as perguntas que você fez nas suas aulas, realmente me fizeram pensar.
  • Obrigado pelo tempo e esforço que empenhou para preparar seu discurso.
  • (Depois de um membro prestar testemunho): Isso foi bem corajoso, que você me inspirou com seu testemunho.

Conclusão

Esses elogios vão além do que se vê na superfície. Quando temos uma configuração de mentalidade espiritual, ao elogiarmos pensamentos e escolhas abrimos uma caixa de diálogo com os membros novos. Uma configuração de mentalidade espiritual reconhece que todos nós devemos aprender com o evangelho. Se compartilharmos essa aprendizagem, crescemos assim como os outros. Esta é a diferença entre frequentar a Igreja e aprender com a frequência à igreja.

Em muitas maneiras, uma configuração de mentalidade espiritual e elogios eficazes dissiparão mitos ou falsas percepções que os membros justos da Igreja têm quando ouvem elogios. Mas, um membro com uma configuração de mentalidade temporal, fixa, pode ver outros membros assim.

Ao construir nossa própria configuração de mentalidade espiritual, nossos elogios ajudarão os membros a construir a deles. Assim, todos seremos discípulos do Senhor Jesus Cristo e desfrutaremos os frutos do poder redentor e capacitador da Expiação do Senhor Jesus Cristo.

Escrito por Shane Lester e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: mormonhub.com

Relacionado:

7 Coisas que Todos os Membros Novos Precisam Saber